China pede que EUA abandonem 'mentalidade da Guerra Fria'

O governo de Pequim criticou a retórica antichinesa do secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo e pediu que ele abandone a "mentalidade da Guerra Fria", prejudicial às relações bilaterais e ao desenvolvimento estável da situação internacional

(Foto: Xinhua)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em discurso na última sexta-feira (8) por ocasião do 30º aniversário da queda do Muro de Berlim na capital alemã, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo alertou sobre a suposta "ameaça" que a China representa, depois de acusar o Partido Comunista no governo de "usar táticas e métodos" que são contrários aos valores da democracia e da liberdade e de reprimir seu próprio povo. 

Em reação, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, censurou na segunda-feira (11) tais "ataques maliciosos infundados" contra Pequim e disse que Pompeo ignora o interesse do povo norte-americano de perseguir seus próprios objetivos políticos.  

"Pompeo, com a cabeça cheia de idéias da Guerra Fria, tenta negar o sistema socialista da China e semear discórdia entre o PCCH (Partido Comunista da China) e o povo chinês para servir sua própria agenda política", lamentou, antes de afirmar que essas tentativas estão fadadas ao fracasso.  

O porta-voz chinês exortou Pompeo a abandonar sua "mentalidade da Guerra Fria", parar suas hostilidades contra o governo da China e "voltar à racionalidade".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247