China quer laços militares com EUA como fator de estabilidade da relação bilateral

O porta-voz do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian, expressou na quinta-feira (25) a esperança de que os Estados Unidos cheguem a um denominador comum com a China e promovam os laços militares como um estabilizador das relações bilaterais

China quer laços militares com EUA como fator de estabilidade da relação bilateral
China quer laços militares com EUA como fator de estabilidade da relação bilateral
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Xinhua - O porta-voz do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian, expressou na quinta-feira (25) a esperança de que os Estados Unidos cheguem a um denominador comum com a China e promovam os laços militares como um estabilizador das relações bilaterais.

Wu disse em uma entrevista coletiva que a China e os EUA devem implementar os consensos obtidos pelos líderes dos dois países, aprofundar a comunicação, promover a confiança mútua, fortalecer a cooperação e manter os riscos sob controle.

Em resposta a um discurso pronunciado pelo vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, no início deste mês, Wu assinalou que a China "opõe-se resolutamente a esse discurso porque é cheio de difamações e acusações infundadas contra a China".

Ao refutar a acusação sobre os gastos militares da China, Wu disse que o orçamento chinês de defesa nacional é equivalente a apenas um quarto do norte-americano e que o gasto militar per capita da China é de cerca de um 19 avos do dos EUA.

A China adere com firmeza a uma política de defesa nacional de natureza defensiva e segue sempre o caminho do desenvolvimento pacífico, assegurou Wu.

A China está comprometida a proporcionar mais bens de segurança pública à comunidade internacional, indicou o porta-voz, acrescentando que o crescimento do poder militar da China é o crescimento das forças de paz do mundo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247