China reafirma que não admite interferência externa em Hong Kong

Ao comemorar o 20º aniversário do retorno de Macau à soberania chinesa, a República Popular da China volta a alertar que não permite interferência estrangeira na própria Macau e em Hong Kong. O povo chinês é capaz de preservar sua soberania nacional, assegurou o presidente Xi Jinping

Xi Jinping
Xi Jinping (Foto: Xinhua)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Quero enfatizar que, após o retorno de Hong Kong e Macau à terra natal, os assuntos das duas regiões administrativas especiais são exclusivamente questões internas da China, que não precisam ser apontados por nenhuma força externa", afirmou o presidente chinês Xi Jinping nesta sexta-feira (20) em solenidade comemorativa do 20º aniversário do retorno de Macau à China.  

Xi garantiu que o governo e o povo chineses podem proteger sua soberania nacional e seus interesses em diferentes áreas, informa o site iraniano HispanTV.  

O presidente chinês elogiou a tradição patriótica e também o forte senso de identidade nacional do povo de Macau. Ele explicou a esse respeito que, devido às características que as pessoas desta cidade têm, o território de Macau conseguiu implementar o princípio "um país, dois sistemas".  

Xi classificou de "séria interferência" nos assuntos internos da China a decisão dos EUA de promulgar a chamada “Lei dos Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong” no final de novembro último.   

Em resposta a esse ato de ingerência de Washington, a China decidiu impor restrições a várias organizações não-governamentais dos EUA, incluindo a Human Rights Watch.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247