China refuta acusações dos EUA sobre cooperação com a ONU

A China refutou na terça-feira acusações feitas sobre a cooperação do país com as Nações Unidas, ressaltando que sempre defendeu firmemente o multilateralismo e os objetivos da Carta da ONU

Wang Wenbin, porta-voz da chancelaria chinesa
Wang Wenbin, porta-voz da chancelaria chinesa (Foto: Diário do Povo on line)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, criticou os ataques dos EUA à cooperação do país socialista asiático com a ONU.

As observações se referem a um artigo da embaixadora dos EUA na ONU, Kelly Craft, que foi publicado recentemente no New York Post. No texto, a cooperação entre a China e a ONU foi alvo de ataques, e também foi alegado que, com todas as suas ações, os Estados Unidos não estavam recuando do multilateralismo, mas preservando o sistema multilateral.

O porta-voz considerou o artigo mais um reflexo da ignorância e do preconceito de alguns políticos americanos.

"Como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU e o segundo maior contribuinte para o orçamento regular bem como para a manutenção da paz da ONU, a China tem sempre defendido firmemente o multilateralismo, apoiado o trabalho da ONU e defendido os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas", disse Wang.

Ele acrescentou que os Estados Unidos não só se engajaram no unilateralismo em si, mas também criticaram a cooperação entre outros países e as Nações Unidas, distorcendo arbitrariamente os fatos.

Wang assinalou que os quadros internacionais de vários países fazem parte da equipe da ONU. Eles desempenham suas funções de acordo com a vontade coletiva dos Estados-membros e estão sujeitos à supervisão dos Estados-membros. Eles têm feito contribuições importantes para a causa da ONU e merecem ser respeitados por todas as partes.

Chamando a alegação de Craft de um insulto a todos os quadros internacionais, o porta-voz também apontou que a acusação é desprovida de qualquer base factual.

Wang acrescentou que Craft e outros políticos dos EUA optaram por causar confrontos entre os principais países das Nações Unidas e interferir nos assuntos internos de outros, o que é profundamente impopular.

Recentemente, representantes de um pequeno número de países, incluindo Craft, desacreditaram maliciosamente a China nas questões de direitos humanos. A China refutou isso com a verdade e os fatos e ganhou o apoio de mais de 70 países. Isso prova plenamente que mais e mais países, depois de verem a verdadeira face dos Estados Unidos, têm tomado ações concretas para se opor ao hegemonismo e ao confronto político.

O porta-voz Wang também criticou Craft por interferir nos assuntos internos da China através de questões relacionadas a Xinjiang, Hong Kong e Taiwan, considerando isso uma violação do direito internacional e das normas básicas das relações internacionais.

"A primeira tarefa de Craft é entender o espaço territorial dos Estados Unidos e suas próprias responsabilidades, em vez de propagar bobagens e usar mentiras como arma. Os problemas enfrentados pelos Estados Unidos não serão resolvidos e nem a América será grande novamente desta forma", Disse Wang.

"Estamos no século 21 e ninguém pode e deve retornar ao antigo caminho de confronto da Guerra Fria do século 20", disse ele. "Esperamos que Craft e outros políticos americanos retornem ao caminho correto e realmente façam seu trabalho."

Informações do Diário do Povo

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247