China, Rússia e Índia fortalecem cooperação no combate ao unilateralismo

"É necessário opor-se resolutamente ao unilateralismo e ao protecionismo". Esta é a principal conclusão da reunião de chanceleres de China, Rússia e Índia, encerrada nesta quinta-feira (28), em Wuzhen, na província oriental chinesa de Zhejiang. Foi a 16ª reunião dos chanceleres dos três países, em que participaram o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e a ministra dos Assuntos Exteriores da Índia, Sushma Swaraj

China, Rússia e Índia fortalecem cooperação no combate ao unilateralismo
China, Rússia e Índia fortalecem cooperação no combate ao unilateralismo

247, com Xinhua - "É necessário opor-se resolutamente ao unilateralismo e ao protecionismo". Esta é a principal conclusão da reunião de chanceleres de China, Rússia e Índia, encerrada nesta quinta-feira (28), em Wuzhen, na província oriental chinesa de Zhejiang. Foi a 16ª reunião dos chanceleres dos três países, em que participaram o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e a ministra dos Assuntos Exteriores da Índia, Sushma Swaraj.

Wang disse que o mundo atual está experimentando mudanças sem precedentes não vistas nos últimos 100 anos e que os três países, como importantes potências influentes e economias emergentes, devem fortalecer a coordenação, convergir em consensos, consolidar a cooperação e promover conjuntamente a paz e a estabilidade mundiais.

Wang declarou que os líderes das três nações realizaram com sucesso uma reunião na Argentina em novembro do ano passado, o que apontou o rumo e deu forte ímpeto à cooperação trilateral.

Wang sugeriu que os três países salvaguardem firmemente o sistema internacional tendo por núcleo a Organização das Nações Unidas (ONU), adiram ao princípio da não intervenção nos assuntos internos e aprofundem a luta contra o terrorismo e cooperem pela segurança.

É necessário opor-se resolutamente ao unilateralismo e ao protecionismo, impulsionar continuamente a liberalização e a facilitação do comércio e investimento e promover a construção de uma economia mundial aberta, declarou Wang, acrescentando que os três países têm proposto suas iniciativas de conectividade, e devem cooperar entre si e promover conjuntamente o processo de integração regional.

Lavrov e Swaraj indicaram que a comunidade internacional deve observar o princípio da Carta da ONU e cumprir as normas das leis e relações internacionais.

Também pediram que os três países aproveitem ao máximo as plataformas multilaterais, incluindo a ONU, para fortalecer mais a coordenação e a cooperação e dar contribuições conjuntas à gestão apropriada das importantes questões internacionais e regionais e abordar os desafios que a humanidade enfrenta.

Depois da reunião, os três países emitiram um comunicado conjunto. Os três chanceleres também participaram de uma entrevista coletiva e tiveram intercâmbios profundos sobre as opiniões relativas ao cenário internacional e a cooperação trilateral atuais.

As três partes concordaram em combater em conjunto todas as formas de terrorismo, fortalecer a comunicação sobre a política antiterrorista e a cooperação prática e especialmente fazer esforços para erradicar o terrorismo e o extremismo.

Sobre a questão da Venezuela, os chanceleres disseram que deve ser resolvida pelo povo venezuelano através do diálogo construtivo ao invés de recorrer à violência, e manifestaram sua oposição à intervenção militar.

As três partes também concordaram em consolidar e expandir constantemente a cooperação prática trilateral e trabalhar para o estabelecimento de um mecanismo de reunião entre seus ministros de Defesa em um momento apropriado. A China também propôs discutir a cooperação "China, Rússia e Índia plus", para melhorar a influência global da cooperação trilateral.

A próxima reunião entre os três chanceleres será realizada na Rússia, anunciou Wang.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247