COP 21 aprova esboço de acordo, mas disputas continuam

Representantes de quase 200 países aprovaram um esboço do acordo sobre clima da ONU, neste sábado, 5, depois de quatro anos de trabalho, o que servirá de base para ministros tentarem resolver centenas de pontos de discordância na próxima semana; texto estabelece opções que vão de objetivos de longo prazo para reduzir o aquecimento global ao aumento de verbas para ações em países em desenvolvimento

Representantes de quase 200 países aprovaram um esboço do acordo sobre clima da ONU, neste sábado, 5, depois de quatro anos de trabalho, o que servirá de base para ministros tentarem resolver centenas de pontos de discordância na próxima semana; texto estabelece opções que vão de objetivos de longo prazo para reduzir o aquecimento global ao aumento de verbas para ações em países em desenvolvimento
Representantes de quase 200 países aprovaram um esboço do acordo sobre clima da ONU, neste sábado, 5, depois de quatro anos de trabalho, o que servirá de base para ministros tentarem resolver centenas de pontos de discordância na próxima semana; texto estabelece opções que vão de objetivos de longo prazo para reduzir o aquecimento global ao aumento de verbas para ações em países em desenvolvimento (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PARIS (Reuters) - Representantes de quase 200 países aprovaram um esboço do acordo sobre clima da ONU, neste sábado, depois de quatro anos de trabalho, o que servirá de base para ministros tentarem resolver centenas de pontos de discordância na próxima semana.

"Este texto marca a vontade de todos de alcançar um acordo. Nós não estamos no fim da jornada. Importantes questões políticas ainda precisam ser resolvidas", disse Laurence Tubiana, enviada para questões de clima da França.

Os representantes governamentais assinaram o texto, de 42 páginas, minutos antes do prazo limite, na manhã deste sábado, depois de trabalhar noite adentro.

O texto estabelece opções, que vão de objetivos de longo prazo para reduzir o aquecimento global ao aumento de verbas para ações em países em desenvolvimento, que poderão ser acertadas por ministros nas conversas da semana que vem, que se encerram na sexta-feira.

Muitos países disseram que o esboço, resultado de quatro anos de trabalho desde que o processo foi lançado em Durban em 2011, deixou muitas questões sem ser resolvidas.

"Nós esperávamos que nosso trabalho avançaria mais", afirmou Nozipho Mxakato-Diseko, da África do South Africa, que fala em nome de mais de 130 países em desenvolvimento.

"Nós fazemos um apelo a nossos parceiros para que ouçam nossas preocupações uma vez que trabalhamos juntos para encontrar uma solução."

(Reportagem de Alister Doyle, Bate Felix, Barbara Lewis)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247