Coreia do Norte teria dois mísseis escondidos na costa leste

A informação da agência sul-coreana Yonhap não pôde ser confirmada, mas pode ter a intenção de demonstrar uma ameaça por parte do Norte ao Japão ou às bases norte-americanas em Guam

Coreia do Norte teria dois mísseis escondidos na costa leste
Coreia do Norte teria dois mísseis escondidos na costa leste (Foto: Bobby Yip)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SEUL, 5 Abr (Reuters) - A Coreia do Norte colocou dois de seus mísseis de médio alcance em lançadores móveis e os escondeu na costa leste do país, disse a agência sul-coreana de notícias Yonhap nesta sexta-feira, citando fontes de inteligência da Coreia do Sul.

A informação não pôde ser confirmada, mas pode ter a intenção de demonstrar uma ameaça por parte do Norte ao Japão ou às bases norte-americanas em Guam. O Norte ameaçou atacar as bases em Guam se os Estados Unidos realizarem uma ataque.

"No início desta semana, o Norte transferiu dois mísseis Musudan de trem e os colocou em lançadores móveis", dise um oficial militar familiarizado com o assunto à Yonhap.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul não quis comentar a reportagem.

Há relatos não confirmados na mídia de que o Norte levou mísseis para a costa leste na quinta-feira, mas não estava claro quais mísseis teriam sido deslocados.

A especulação foram em torno de dois tipos de mísseis que não se tem conhecimento que tenham sido testados.

Um deles é o chamado míssil Musudan, que o Ministério da Defesa da Coreia do Sul estima que tem alcance de até 3.000 km. O outro é chamado de KN-08, que acredita-se ser um míssil balístico intercontinental, que não foi testado.

O ministro da Defesa sul-coreano disse não acreditar que o míssil que foi transferido para o leste seja o KN-08.

A Coreia do Norte tem melhorado lenta e progressivamente suas capacidades de mísseis nos últimos anos, e as autoridades dos EUA dizem que seus mísseis podem ser capazes de atingir territórios e Estados norte-americanos fora do continente, incluindo Guam, Alasca e Havaí.

(Reportagem de David Chance)

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247