Crise dos migrantes: a primeira morte de 2016 é de uma criança

Uma criança de 2 anos morreu afogada, na costa grega, após o naufrágio de uma embarcação que transportava migrantes desde a Turquia. Foi a primeira morte de migrantes, em 2016, no Mar Egeu, informou ontem a Guarda Costeira da Grécia; o caso lembra o do menino sírio Aylan, que, em 2015, chocou o mundo

Uma criança de 2 anos morreu afogada, na costa grega, após o naufrágio de uma embarcação que transportava migrantes desde a Turquia. Foi a primeira morte de migrantes, em 2016, no Mar Egeu, informou ontem a Guarda Costeira da Grécia; o caso lembra o do menino sírio Aylan, que, em 2015, chocou o mundo
Uma criança de 2 anos morreu afogada, na costa grega, após o naufrágio de uma embarcação que transportava migrantes desde a Turquia. Foi a primeira morte de migrantes, em 2016, no Mar Egeu, informou ontem a Guarda Costeira da Grécia; o caso lembra o do menino sírio Aylan, que, em 2015, chocou o mundo (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa

Uma criança de 2 anos morreu afogada, na costa grega, após o naufrágio de uma embarcação que transportava migrantes desde a Turquia. Foi a primeira morte de migrantes, em 2016, no Mar Egeu, informou ontem a Guarda Costeira da Grécia.

A embarcação, que transportava 40 pessoas, naufragou perto da costa escarpada da ilha grega de Agathonisi. Pescadores avisaram a Guarda Costeira, que enviou para o local o navio de uma instituição, com sede em Malta, que se dedica ao socorro de pessoas em perigo.

A tripulação do navio descobriu 38 pessoas que tinham conseguido subir as rochas. Segundo a Guarda Costeira grega, os pescadores resgataram uma mulher, com vida, que havia caído na água, e o corpo da criança. Dez dos migrantes foram hospitalizados devido a hipotermia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247