Cuba começa a testar em humanos a Soberana 01, sua vacina contra Covid-19

Se todas as fases de testes forem concluídas e se sua eficiência for comprovada, essa pode ser a primeira vacina contra o coronavírus desenvolvida na América Latina

Médicos cubanos
Médicos cubanos (Foto: REUTERS/Daniele Mascolo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cientistas cubanos iniciam nesta segunda-feira, 24, testes em seres humanos da "Soberana 01", a vacina contra o coronavírus que está sendo desenvolvida na ilha caribenha.

Segundo a BBC Brasil, cerca de 700 pessoas serão as primeiras a receber a vacina. Eles têm idade entre 18 e 80 anos, e esta fase de testes em humanos vai até o final de outubro.

Se todas as fases de testes forem concluídas e se sua segurança e eficiência puderem ser provadas, essa pode ser a primeira vacina contra o coronavírus desenvolvida na América Latina.

Segundo o diretor do Instituto Finlay de Vacinas, Vicente Vérez Bencomo, como a fórmula será testada em diferentes fases e que podem terminar em meados de fevereiro.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247