Cynara: é preciso investigar quem está ganhando dinheiro com a cloroquina

"Vocês acham que Alexandre Garcia, Donald Trump e Jair Bolsonaro estão fazendo propaganda de graça?", questionou a jornalista Cynara Menezes, referindo-se à cruzada do governo federal, que utiliza dinheiro público na aquisição e produção do medicamento cloroquina. Assista sua participação no programa Bom Dia 247

Cynara Menezes, Bolsonaro com Trump e pote de cloroquina
Cynara Menezes, Bolsonaro com Trump e pote de cloroquina (Foto: Felipe Gonçalves/Brasil 247 | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- Em participação no programa Bom Dia 247 desta quinta-feira (30), a jornalista Cynara revelou que o Instituto de Tecnologia em Fármacos da Fiocruz abriu nesta segunda-feira (27) um edital para a compra de 3 toneladas de cloroquina uma empresa indiana, a IPCA Laboratories Limited, e na sequência revogou o edital, sem prestar maiores esclarecimentos da abertura e cancelamento do processo de compra do medicamento. Na visão da jornalista, “é urgente investigar as relações escusas envolvendo Jair Bolsonaro, Donald Trump e a empresa indiana que hoje é a maior produtora do mundo de cloroquina”. 

Nesta quarta-feira (30) ela escreveu um artigo expondo que, “com sede em Mumbai, a IPCA é a mesma empresa cujo embargo foi derrubado pelo governo norte-americano em 21 de março, justamente para o país poder importar cloroquina, e que havia sido propagandeada por Donald Trump pela primeira vez dois dias antes como a “cura” para a Covid-19. ‘Os resultados são muito, muito encorajadores’, disse Trump, minimizando os efeitos colaterais”.

“Esse edital adquirindo ainda mais cloroquina causa muita estranheza. Qual a razão de comprar ainda mais cloroquina? Qual argumento?”, indagou a jornalista. 

De acordo com Cynara, o edital “causa ainda mais estranheza” pelo fato de “técnicos do ministério da Saúde indicarem, em documento, a orientação para que o governo não adquirisse mais cloroquina, pois os estoques governamentais já estão altos, com 4 milhões em reserva do medicamento”. 

“Além disso, o Exército está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União pelo gasto de R$1,5 de reais para produção de mais comprimidos de cloroquina. Então, por que fazer tal edital? Até agora isso não foi respondido”, concluiu. 

Inscreva-se na TV 247 e confira: 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247