Daesh reivindica ataques no sul da França

Organização terrorista Daesh reivindicou o ataque a tiros na cidade francesa de Trèbes, nesta sexta-feira, 23, mas não apresentou nenhuma prova; Daesh afirmou em uma declaração divulgada on-line que um "soldado do califado" realizou o ataque; na sequência dos ataques morreram três pessoas, quando um homem armado abriu fogo contra um motorista, seu passageiro e policiais e depois tomou reféns em um supermercado gritando "Allahu Akbar"

Daesh reivindica ataques no sul da França
Daesh reivindica ataques no sul da França
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Na sexta-feira (23), a organização terrorista Daesh (proibida na Rússia) reivindicou o ataque a tiros na cidade francesa de Trèbes, mas não apresentou nenhumas provas.

Na sequência dos ataques morreram três pessoas, quando um homem armado abriu fogo contra um motorista, seu passageiro e policiais e depois tomou reféns em um supermercado gritando "Allahu Akbar", como afirma o prefeito da cidade citado pela agência de notícias Reuters.

O Daesh afirmou em uma declaração divulgada on-line que um "soldado do califado" realizou o ataque. O grupo terrorista não deu nenhuns detalhes.

Na sexta-feira de manhã, um homem armado tomou reféns em um supermercado da rede Super U na comuna de Trèbes no departamento de Aude. No decorrer da operação policial o criminoso, que revelou sua ligação com o Daesh, foi neutralizado e abatido.

De acordo com algumas informações, o homem é oriundo de Marrocos e antes já era conhecido dos serviços especiais franceses. Ele exigia a libertação do maior culpado pelos atentados de Paris e Bruxelas em 2015, Salah Abdeslam.

Antes de se dirigir ao supermercado, Redouane Lakdim, de 26 anos, atacou o motorista de um carro, ferindo-o e matando seu passageiro, tirou-lhe o carro e atacou um grupo das forças de segurança que estavam correndo desarmados.

O departamento antiterrorista da Procuradoria abriu um processo em relação ao ataque no supermercado com base em vários artigos penais ligados a organizações terroristas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247