Democrata propõe exame psiquiátrico para tirar Trump da Casa Branca

A congressista democrata Zoe Loefgren apresentou ao Congresso dos Estados Unidos uma resolução que, se aprovada, obrigaria o presidente estadunidense Donald Trump a passar por um exame médico e psiquiátrico; a parlamentar diz que é necessário saber se Trump está capacitado para seguir no comando dos EUA. Se isso não for atestado, o vice-presidente do país, Mike Pence, e os demais membros do gabinete de Trump poderiam evocar a Emenda 25 da Constituição do país, que prevê a saída do presidente por "incapacidade"

Republican U.S. presidential candidate Donald Trump gestures at his New York presidential primary night rally in Manhattan, New York, U.S., April 19, 2016. REUTERS/Carlo Allegri
Republican U.S. presidential candidate Donald Trump gestures at his New York presidential primary night rally in Manhattan, New York, U.S., April 19, 2016. REUTERS/Carlo Allegri (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Sputnik - A congressista democrata Zoe Loefgren apresentou nesta sexta-feira ao Congresso dos Estados Unidos uma resolução que, se aprovada, obrigaria o presidente estadunidense Donald Trump a passar por um exame médico e psiquiátrico, informou o site The Mercury News.

Em sua proposta, a parlamentar diz que é necessário saber se Trump está capacitado para seguir no comando dos EUA. Se isso não for atestado, o vice-presidente do país, Mike Pence, e os demais membros do gabinete de Trump poderiam evocar a Emenda 25 da Constituição do país, que prevê a saída do presidente por "incapacidade".

"O presidente Donald J. Trump exibiu um padrão alarmante de comportamento e fala causando preocupação de que um distúrbio mental pode ter o tornado impróprio e incapaz de cumprir seus deveres constitucionais", diz a resolução da democrata.

A iniciativa da parlamentar insta ainda que o gabinete de Trump garanta "rapidamente os serviços de profissionais médicos e psiquiátricos para examinar o presidente […] para determinar se o presidente sofre de desordem mental ou outra lesão que prejudica suas habilidades e impede-o de cumprir seus deveres constitucionais".

Em nota, o gabinete de Loefgren questionou se Trump tinha "demência no estágio inicial" ou se "o estresse do escritório agravava um controle de impulso incapacitante da doença mental".

"Eu não sou psiquiatra ou psicóloga", disse Lofgren em uma entrevista na sexta-feira. "Se fosse uma doença física, você receberia o conselho dos médicos. O mesmo deve ser verdade para dar uma olhada em sua estabilidade aqui", completou.

A 25ª Emenda da Constituição dos EUA afirma que o vice-presidente e a maioria do gabinete podem remover temporariamente o presidente do cargo declarando-o "incapaz de cumprir os poderes e deveres de seu cargo" em uma carta ao Congresso. O vice-presidente tornaria-se então o presidente interino.

Se o presidente se opuser a sua remoção, o debate vai para o Congresso. Um voto de maioria de dois terços em ambas as câmaras do Congresso é obrigado a manter o presidente fora do cargo.

Por enquanto, a Casa Branca não se pronunciou sobre a iniciativa.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247