Descontente com negativa de verba para muro, Trump não prevê nova paralisação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostrou insatisfação nesta terça-feira (12) com o acordo no Congresso sobre o orçamento para a segurança de fronteira do país, que estabelece recursos considerados insuficientes para seu prometido muro, mas não o rejeitou de imediato e indicou que não prevê nova paralisação do governo. Fontes do Congresso dizem que o acordo inclui 1,37 bilhão de dólares para novas cercas ao longo de 90 km da fronteira sul dos EUA, mas apenas para modelos já usados

Descontente com negativa de verba para muro, Trump não prevê nova paralisação
Descontente com negativa de verba para muro, Trump não prevê nova paralisação (Foto: REUTERS/Leah Millis)

247, com Reuters - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostrou insatisfação nesta terça-feira (12) com o acordo no Congresso sobre o orçamento para a segurança de fronteira do país, que estabelece recursos considerados insuficientes para seu prometido muro, mas não o rejeitou de imediato e indicou que não prevê nova paralisação do governo. Fontes do Congresso dizem que o acordo inclui 1,37 bilhão de dólares para novas cercas ao longo de 90 km da fronteira sul dos EUA, mas apenas para modelos já usados.

Trump, que desencadeou uma paralisação parcial do governo federal durante 35 dias, exigindo do Congresso 5,7 bilhões de dólares para ajudar a construir o muro na fronteira com o México, disse que ainda não decidiu se apoiará o acordo firmado na segunda-feira (11) entre democratas e republicanos.

O financiamento do Departamento de Segurança Interna, do Departamento de Justiça e de uma série de outras agências expirará na sexta-feira (15), sob um projeto de orçamento temporário aprovado pelo Congresso no mês passado para encerrar a maior paralisação federal da história dos EUA.

"Eu tenho que estudá-lo. Não estou feliz com ele", disse Trump a repórteres na Casa Branca, em referência ao acordo orçamentário preliminar, que ainda precisaria ser aprovado pela Câmara dos Deputados, controlada por democratas, pelo Senado, controlado por republicanos, e sancionado por ele.

O acordo preliminar inclui recursos para segurança de fronteira e para as partes afetadas do governo, financiadas até 30 de setembro, o final do ano fiscal.

O presidente republicano enviou mensagens contraditórias sobre uma nova paralisação.

"Não acho que vocês verão uma paralisação", disse Trump, mas acrescentou: "Se houvesse, seria culpa dos democratas".

Parlamentares republicanos têm se mostrado pouco dispostos a enfrentar uma nova paralisação após serem fortemente criticados pela anterior.

Os comentários do líder da maioria do Senado, Mitch McConnell, sobre o acordo alcançado na segunda-feira deixaram pouca dúvida de que o principal republicano do Congresso quer que Trump apoie o acerto.

O principal democrata do Senado, Chuck Schumer, foi mais direto, dizendo, "Eu peço veementemente que o presidente sancione isso".

O termos do acordo incluem também a capacidade de instalações para detenção de imigrantes, especificamente o número de camas para pessoas que aguardam uma possível deportação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247