Detido na Bélgica não era autor de atentados, diz jornal

Mídia belga, que mais cedo nesta quarta-feira havia dito que um suspeito dos ataques de terça-feira em Bruxelas tinha sido preso, informou que a pessoa detida não é de fato Najim Laachraoui; o jornal La Libre Belgique relatou que outra pessoa foi presa em vez de Laachraoui

Detido na Bélgica não era autor de atentados, diz jornal
Detido na Bélgica não era autor de atentados, diz jornal

BRUXELAS (Reuters) - A mídia belga, que mais cedo nesta quarta-feira havia dito que um suspeito dos ataques de terça-feira em Bruxelas tinha sido preso, informou que a pessoa detida não é de fato Najim Laachraoui.

O jornal La Libre Belgique relatou que outra pessoa foi presa em vez de Laachraoui. O DH, que relatou a prisão pela primeira vez, disse que o homem detido no bairro de Anderlecht foi identificado de forma errada.

A polícia e procuradores se negaram a comentar sobre o assunto mas irão realizar uma entrevista coletiva durante a tarde.

(Reportagem de Alastair Macdonald)

Ataque na Bélgica aumenta preocupações com aeroportos nos EUA

NOVA YORK (Reuters) - Importantes aeroportos norte-americanos estavam em elevado estado de alerta nesta terça-feira, com forte presença policial, depois que pelo menos 30 pessoas foram mortas em ataques suicidas a bomba no aeroporto e no metrô de Bruxelas, embora autoridades tenham dito que não havia uma ameaça específica contra os Estados Unidos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e Hillary Clinton, pré-candidata a presidente, prometeram fazer mais para reprimir militantes, enquanto o favorito para ser o candidato presidencial republicano, Donald Trump, defendeu uma maior segurança na fronteira e sugeriu que os serviços de inteligência do país pudessem usar a tortura para impedir ataques.

A expectativa era que o governo Obama fortalecesse a segurança nos aeroportos dos EUA, depois do ataque no aeroporto de Bruxelas, que ocorreu num salão público, do lado de fora da área de inspeção de segurança.

O deputado norte-americano William Keating, de Massachusetts, um democrata do subcomitê sobre terrorismo da Câmara, disse que os ataques em Bruxelas ilustram a dificuldade em proteger os “alvos fáceis” fora das áreas onde a segurança é mais controlada.

"Nós devemos aprender com isso que os alvos não estarão somente no embarque dos aviões, mas serão o aeroporto em geral”, afirmou Keating numa entrevista pelo telefone.

O secretário de Segurança Interna, Jeh Johnson, declarou que a agência não tinha informação que indicaria um ataque similar sendo planejado contra os EUA.

(Por Barbara Goldberg e Joseph Ax)

 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247