EI promete ataques “mais duros e mais amargos”

Em um comunicado em que reivindica a autoria dos ataques em Bruxelas, que deixaram ao menos 34 mortos, o grupo extremista Estado Islâmico ameaça realizar ataques “mais duros e mais amargos” contra os países que combatem os jihadistas; “Uma célula secreta de soldados do califado lançou-se contra a cruzada Bélgica que não cessou de combater o Islã”, diz o texto, divulgado em francês e em árabe

Em um comunicado em que reivindica a autoria dos ataques em Bruxelas, que deixaram ao menos 34 mortos, o grupo extremista Estado Islâmico ameaça realizar ataques “mais duros e mais amargos” contra os países que combatem os jihadistas; “Uma célula secreta de soldados do califado lançou-se contra a cruzada Bélgica que não cessou de combater o Islã”, diz o texto, divulgado em francês e em árabe
Em um comunicado em que reivindica a autoria dos ataques em Bruxelas, que deixaram ao menos 34 mortos, o grupo extremista Estado Islâmico ameaça realizar ataques “mais duros e mais amargos” contra os países que combatem os jihadistas; “Uma célula secreta de soldados do califado lançou-se contra a cruzada Bélgica que não cessou de combater o Islã”, diz o texto, divulgado em francês e em árabe (Foto: Leonardo Lucena)

Da Agência Lusa

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) assumiu formalmente responsabilidade pelos atentados de hoje em Bruxelas, na Bélgica, num comunicado em que ameaça com ataques “mais duros e mais amargos” os países que combatem os jihadistas.

“Uma célula secreta de soldados do califado lançou-se contra a cruzada Bélgica que não cessou de combater o Islã”, diz o texto, divulgado em francês e em árabe.

O comunicado informa que os autores dos ataques utilizaram “cintos explosivos, bombas e espingardas metralhadoras” no Aeroporto de Zaventem e numa estação de metrô”, que foram “cuidadosamente escolhidos” para “matar o maior número" de pessoas.

O grupo promete aos países que combatem o Estado Islâmico "dias muito sombrios em resposta à sua agressão”, acrescentando que o que os espera “será mais duro e mais amargo”.

O Estado Islâmico tinha reivindicado os ataques horas antes por meio da agência Amaq, reconhecida pelas suas ligações com o grupo.

Especialistas receberam essa reivindicação com reservas, não apenas por ser indireta, mas também por ser divulgada exclusivamente em inglês, e não em árabe.

Pelo menos 34 pessoas morreram e 187 ficaram feridas em dois ataques que ocorreram hoje de manhã no Aeroporto de Zaventem e na estação de metrô de Maelbeek, em Bruxelas, segundo balanço provisório divulgado pelas autoridades.

As três explosões foram classificadas pelas autoridades belgas como atentados terroristas.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247