Em campanha na ONU, Brasil omite informações sobre violência policial, LGBT e clima

O governo brasileiro produziu um material de propaganda em que coloca as prioridades do país no que se refere aos direitos humanos e seus compromissos, omitindo informações sobre temas como violência, LGBT e clima

Conselho de Direitos Humanos da ONU
Conselho de Direitos Humanos da ONU (Foto: UN Photo / Jean-Marc FerrŽ )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com o objetivo de angariar votos para a eleição que ocorre na ONU neste mês de outubro, o governo brasileiro produziu um material de propaganda em que coloca as prioridades do país no que se refere aos direitos humanos e seus compromissos, informa o jornalista Jamil Chade, que acompanha em Genebra as atividades do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

O Brasil defende no documento família e religião. Mas o governo não diz como pretende se engajar para melhorar a situação das prisões, da tortura, da violência policial, do meio ambiente ou dos homossexuais, que sequer são citados, diz o jornalista. 

O Brasil busca renovar seu mandato para o Conselho de Direitos Humanos da ONU. Para isso, precisa de 97 dos 194 votos da Assembleia Geral das Nações Unidas. Mas o que tem chamado a atenção é a forma pela qual o país tem se apresentado ao mundo.

Numa carta introdutória, o chanceler Ernesto Araújo e a ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, deixam claro que os "compromissos assumidos refletem a prioridade absoluta atribuída pelo governo brasileiro à promoção e à protecção dos mais altos padrões de direitos humanos".

Os compromissos, porém, ignoram alguns dos principais pontos de alerta lançados sobre o Brasil por parte da da ONU, diz Jamil Chade.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email