Em nova ofensiva, Israel classifica seis ONGs palestinas como "organizações terroristas"

As entidades tornam-se ilegais conforme a lei

Siga o Brasil 247 no Google News

Brasil de Fato - O Ministério da Defesa de Israel emitiu uma ordem militar nesta sexta (22) em que determina que seis organizações não-governamentais (ONGS) palestinas passam a ter o status de "organizações terroristas" e, portanto, de entidades ilegais.

Com a medida, as forças israelenses de ocupação poderão fechar os escritórios das organizações, apreender e confiscar seus bens, prender seus membros e proibir atos de financiamento e apoio.

As organizações atingidas são: Addameer (palavra em árabe para "consciência"), al-Haq (palavra para "justiça", Defesa das Crianças da Palestina (DCI), União dos Comitês de Trabalho Agrícola, Centro Bisan para Pesquisa e Desenvolvimento e Comitê da União das Mulheres Palestinas.

PUBLICIDADE

Ou seja, grupos que atuam e advogam nas áreas de direitos humanos, responsabilização de Israel por crimes internacionais e luta pela terra.

Israel afirma que as ONGs são ligadas à Frente Popular pela Libertação da Palestina (FPLP). "Essas organizações fazem parte de uma rede que, sob o pretexto de atividades internacionais, dependem da FPLP para apoiar seus objetivos e promover suas atividades", disse o ministro da Defesa, Benny Gantz, em comunicado.

O Centro Legal para os Direitos da Minoria Árabe em Israel (Adalah) afirmou que a medida atingiu as organizações de direitos humanos mais proeminentes na Palestina.

PUBLICIDADE

"A decisão israelense de designar seis organizações de direitos humanos e da sociedade civil como organizações terroristas é um ataque sem precedentes aos defensores dos direitos humanos que estão expondo e resistindo à ocupação israelense e suas políticas de apartheid na Cisjordânia", disse o Adalah.

A Anistia Internacional e a Human Rights Watch também criticaram a decisão israelense em comunicado.

Em trecho do comunicado, as duas organizações afirmam que "o fracasso de décadas da comunidade internacional em desafiar os graves abusos israelenses de direitos humanos e impor consequências significativas a eles acabou por fortalecer autoridades israelenses a agir dessa maneira descarada".

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email