Em reunião de direitos humanos, Palestina exige o fim da ocupação israelense

O chanceler da Autoridade Nacional Palestina, Riyad al-Malki, reiterou a urgência do apoio direto por parte da comunidade internacional ao direito palestino à autodeterminação

Riyad al-Malki, chanceler palestino
Riyad al-Malki, chanceler palestino (Foto: prensa latina)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministro das Relações Exteriores da Palestina, Riyad al-Malki, condenou nesta segunda-feira (22), a intensificação por parte do Estado sionista israelense das agressões contra o povo palestino durante a  pandemia de Covid-19. 


Malki, exigiu nesta segunda-feira, primeiro dia da 46ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), o fim da ocupação israelense dos territórios palestinos e dos crimes contra a população civil, informa a Telesul.

“Israel se aproveita dea pandemia para intensificar suas agressões, o que faz com impunidade e em desafio às Nações Unidas e seus apelos”, denunciou o chefe da diplomacia palestina durante seu discurso em um encontro internacional.

O alto funcionário reiterou a urgência da comunidade internacional, e em particular do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, de apoiar o direito palestino à autodeterminação, a um Estado independente com capital em Jerusalém Oriental e ao retorno dos refugiados.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email