Entidade denuncia que governo de Lenin Moreno assassinou manifestantes indígenas

A Confederação das Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), denunciou nesta quinta-feira que as forças repressivas do governo de Lenin Moreno assassinaram manifestantes indígenas

(Foto: REUTERS/Ivan Alvarado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Telesur - A Confederação das Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie) diz nesta quinta-feira (10) em comunicado que vai iniciar os procedimentos necessários para evitar a impunidade por crimes cometidos pelo governo de Lenin Moreno, que  assassinou manifestantes. 

As mortes de manifestantes ocorreram em decorrência das ações repressivas do governo presidido por Lenín Moreno.  

A Conaie informa que nos próximos dias publicará um relatório completo com os nomes de todas as vítimas.   

Igualmente, a entidade vai debater o assunto com organizações de defesa dos direitos humanos para garantir que os crimes do governo Moreno não fiquem impunes.   

Vários movimentos sociais no país estão nas ruas há uma semana e confirmaram que não abandonarão os protestos até que o governo revogue o Decreto Executivo 883, que estabeleceu a eliminação dos subsídios aos combustíveis e a liberação dos preços do diesel e da gasolina.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247