Equador deve rever relações com o Brasil se impeachment for confirmado

O governo do Equador pode rever as relações diplomáticas com o Brasil se o impeachment da presidente Dilma for efetivado pelo Senado; "Revisaremos a situação se Rousseff for impugnada", disse o ministro das Relações Exteriores e assuntos de mobilidade humana do país, Guillaume Long; "Dilma Rousseff não foi acusada de corrupção... muitas acusações contra ela têm a ver com infrações administrativas. Nãos sei de exemplos em que o impeachment seja relacionado com infrações administrativas. Isso é uma preocupação para o governo do Equador", denunciou

O governo do Equador pode rever as relações diplomáticas com o Brasil se o impeachment da presidente Dilma for efetivado pelo Senado; "Revisaremos a situação se Rousseff for impugnada", disse o ministro das Relações Exteriores e assuntos de mobilidade humana do país, Guillaume Long; "Dilma Rousseff não foi acusada de corrupção... muitas acusações contra ela têm a ver com infrações administrativas. Nãos sei de exemplos em que o impeachment seja relacionado com infrações administrativas. Isso é uma preocupação para o governo do Equador", denunciou
O governo do Equador pode rever as relações diplomáticas com o Brasil se o impeachment da presidente Dilma for efetivado pelo Senado; "Revisaremos a situação se Rousseff for impugnada", disse o ministro das Relações Exteriores e assuntos de mobilidade humana do país, Guillaume Long; "Dilma Rousseff não foi acusada de corrupção... muitas acusações contra ela têm a ver com infrações administrativas. Nãos sei de exemplos em que o impeachment seja relacionado com infrações administrativas. Isso é uma preocupação para o governo do Equador", denunciou (Foto: Paulo Emílio)

Sputnik Brasil - O Equador está prestes a revisar as relações diplomáticas com o Brasil se o impeachment em relação à presidente afastada Dilma Rousseff for efetivado, disse aos jornalistas o ministro das Relações Exteriores e assuntos de mobilidade humana do Equador, Guillaume Long."Revisaremos a situação se Rousseff for impugnada", disse.

Long sublinhou que logo que no Brasil se iniciou o processo judicial contra Dilma, o Equador "retirou o seu embaixador para realizar consultas". Agora no Brasil não há embaixador do Equador, entretanto, as relações diplomáticas se mantêm.
Segundo o ministro, Dilma ainda permanece presidente legítima do Brasil porque não foi impugnada.

"Dilma Rousseff não foi acusada de corrupção...muitas acusações contra ela têm a ver com infrações administrativas. Nãos sei de exemplos em que o impeachment seja relacionado com infrações administrativas. Isso é uma preocupação para o governo do Equador", acrescentou Long.

Long também sublinhou que "o valor do sufrágio universalé muito importante", e expressou os seus receios em relação ao processo de impeachment contra a presidente eleita.

Há que lembrar que a decisão final relacionada com impeachment contra Dilma será tomada na sessão do Senado em 1 ou 2 de agosto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247