Escândalo de corrupção sueco movimentou R$ 3,8 mil

Enquanto a Operação lava Jato apura suspeitas de prejuízos de até R$ 40 bilhões, o escândalo que domina as manchetes da imprensa da Suécia soma 10.865 coroas cuecas, equivalente a R$ 3,8 mil; Tomas Tobé, secretário-executivo do Partido Moderado (conservador), teria utilizado os pontos do cartão fornecido pelo governo para que os parlamentares possam fazer uso gratuito em trens e no sistema de transporte público; ele teria adquirido um pacote de amendoins, uma refeição, vinho, água e oito bilhetes de trens para uso pessoal

Secretário-executivo do Partido Moderado (conservador) da Suécia, Tomas Tobé
Secretário-executivo do Partido Moderado (conservador) da Suécia, Tomas Tobé (Foto: Paulo Emílio)

247 - Não é só o Brasil que enfrenta problemas com a corrupção. Só que enquanto a Operação Lava Jato apura suspeitas de prejuízos de até R$ 40 bilhões, o escândalo que domina as manchetes da imprensa da Suécia soma 10.865 coroas cuecas, equivalente a R$ 3,8 mil.

Segundo as investigações das autoridades daquele país, o deputado Tomas Tobé teria utilizado, em benefício próprio, as milhas acumuladas no cartão fornecido pelo governo para que os parlamentares possam fazer uso gratuito em trens e no sistema de transporte público.

Tobé, que é secretário-executivo do Partido Moderado (conservador), teria utilizado os pontos do cartão para pagar um pacote de amendoins, uma refeição, vinho, água e adquirido oito bilhetes de trens para uso pessoal.

 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247