Espanha pede desculpas por repressão violenta durante referendo catalão

Representante oficial do governo central da Espanha na Catalunha, Enric Millo, pediu desculpas pela resposta violenta da polícia espanhola contra manifestantes que estavam tentando votar em um referendo proibido pela Justiça sobre a independência da região, no domingo; esse foi o primeiro pedido de desculpas de uma autoridade do governo de Madri pelos confrontos que deixaram cerca de 900 feridos

Choque entre policiais e multidão, durante referendo de independência da Catalunha em Sant Julia de Ramis, na Espanha 01/10/2017 REUTERS/Juan Medina
Choque entre policiais e multidão, durante referendo de independência da Catalunha em Sant Julia de Ramis, na Espanha 01/10/2017 REUTERS/Juan Medina (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O representante oficial do governo central da Espanha na Catalunha pediu desculpas, nesta sexta-feira, pela resposta violenta da polícia espanhola contra manifestantes que estavam tentando votar em um referendo proibido pela Justiça sobre a independência da região, no domingo.

"Quando eu vejo essas imagens, e mais ainda, quando sei que pessoas foram agredidas, empurradas e até uma pessoa que foi hospitalizada, eu não posso deixar de me arrepender e pedir desculpas em nome dos agentes que intervieram", disse Enric Millo em entrevista televisionada.

Esse foi o primeiro pedido de desculpas de uma autoridade do governo de Madri pelos confrontos e pode ser visto como um gesto conciliador para os líderes catalães, que planejam uma declaração unilateral de independência da região.

A ação policial, que, de acordo com autoridades de saúde da Catalunha, deixou cerca de 900 feridos, tem sido amplamente condenada por grupos de direitos humanos como uso excessivo de força contra a população civil.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247