Esquerda começa campanha eleitoral na Bolívia

A Bolívia se prepara para realizar eleições gerais em 18 de outubro, após dez meses do golpe que derrubou Evo Morales

A chapa presidencial do MAS
A chapa presidencial do MAS (Foto: Prensa Latina)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sob a palavra de ordem de "Vamos Adiante", a campanha eleitoral do Movimento pelo Socialismo (MAS) começou este domingo (6), a campanha eleitoral para as presidenciais de 18 de outubro.

O MAS apresentou em campanha oficial a chapa presidencial constituída pelo ex-ministro da Economia, Luis Arce, candidato à presidência, e o ex-ministro das Relações Exteriores, David Choquehuanca, candidato à vice-presidência.

O candidato presidencial, popularmente conhecido como Lucho Arce, garantiu que a Bolívia está "à beira de um momento marcante", comparando-o às lutas das décadas de 70, 80 e final dos anos 90 contra os regimes ditatoriais e neoliberais do país, informa a Telesul.

“É assim que se repete diante dessas novas formas de apreensão da liberdade e plena participação política”, afirma o candidato, aludindo ao golpe contra a democracia boliviana no final de 2019. Ele defendeu a recuperação do Estado de Direito diante das diferentes crises enfrentadas pelo povo boliviano.

“As más políticas estão a fazer-nos voltar anos”, disse Arce, ao mesmo tempo que assumia o desafio de retomar as rédeas do crescimento e da justiça social no país “sem ódio, sem racismo, sem violência, sem discriminação”.

Da mesma forma, Arce se desculpou pelas mudanças na forma de campanha devido ao novo surto de coronavírus, não podendo realizar “as grandes e históricas concentrações nas ruas”. Ele afirmou que "primeiro vem a vida e a responsabilidade pela saúde de nossa família e de nossa comunidade".

Em matéria internacional, Luis Arce agradeceu a solidariedade enviada por países irmãos em meio à atual crise política e assegurou que “a Bolívia deve manter relações com todos os países do mundo no marco do respeito ao princípio da não intervenção”.

Por sua vez, o candidato à vice-presidência da Bolívia, David Choquehuanca, que também atuou como secretário-geral da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA - TCP), destacou que o povo boliviano começa a se organizar novamente contra 500 anos de racismo e discriminação na luta por seus direitos e soberania.

O que chamaram de “grande encontro virtual” contou com a participação de lideranças populares bolivianas e lideranças em apoio à campanha presidencial do MAS.

O lançamento oficial efectuado prevê o que será uma campanha eleitoral marcada pela nova normalidade imposta pela chegada da pandemia Covid-19 à região, e que leva à necessidade do aproveitamento das ferramentas virtuais como as redes sociais para atingir a população boliviana contida em suas residências.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email