EUA: ataques em Bagdá aumentam determinação no Iraque

A Casa Branca condenou neste domingo os ataques à bomba em Bagdá que mataram cerca de 120 pessoas e deixaram 200 feridos, afirmando que isso apenas fortaleceu a determinação dos Estados Unidos em enfrentar os militantes do Estado islâmico; "Permanecemos unidos com o povo e o governo do Iraque em nossos esforços combinados para destruir o Estado Islâmico", disse a Casa Branca em comunicado; no ataque mais grave, um caminhão frigorífico explodiu em Karrada, na zona central de Bagdá, matando 115 pessoas e ferindo ao menos 200

A Casa Branca condenou neste domingo os ataques à bomba em Bagdá que mataram cerca de 120 pessoas e deixaram 200 feridos, afirmando que isso apenas fortaleceu a determinação dos Estados Unidos em enfrentar os militantes do Estado islâmico; "Permanecemos unidos com o povo e o governo do Iraque em nossos esforços combinados para destruir o Estado Islâmico", disse a Casa Branca em comunicado; no ataque mais grave, um caminhão frigorífico explodiu em Karrada, na zona central de Bagdá, matando 115 pessoas e ferindo ao menos 200
A Casa Branca condenou neste domingo os ataques à bomba em Bagdá que mataram cerca de 120 pessoas e deixaram 200 feridos, afirmando que isso apenas fortaleceu a determinação dos Estados Unidos em enfrentar os militantes do Estado islâmico; "Permanecemos unidos com o povo e o governo do Iraque em nossos esforços combinados para destruir o Estado Islâmico", disse a Casa Branca em comunicado; no ataque mais grave, um caminhão frigorífico explodiu em Karrada, na zona central de Bagdá, matando 115 pessoas e ferindo ao menos 200 (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca condenou neste domingo os ataques à bomba em Bagdá que mataram cerca de 120 pessoas e deixaram 200 feridos, afirmando que isso apenas fortaleceu a determinação dos Estados Unidos em enfrentar os militantes do Estado islâmico.

"Permanecemos unidos com o povo e o governo do Iraque em nossos esforços combinados para destruir o Estado Islâmico", disse a Casa Branca em um comunicado.

Um caminhão frigorífico explodiu em Karrada, na zona central de Bagdá, matando 115 pessoas e ferindo ao menos 200. Em um segundo ataque, próximo da meia-noite, um dispositivo explodiu em um mercado no distrito xiita de al-Shaab, matando ao menos duas pessoas, segundo a polícia e fontes médicas.

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo derramamento de sangue em um comunicado online que circulava entre os apoiantes do grupo extremista sunita. O comunicado dizia que a explosão do caminhão foi um atentado suicida.

O ataque à zona comercial de Karrada é o mais mortal desde que as forças iraquianas apoiadas pelos EUA retomaram Falluja, reduto do Estado Islâmico, no mês passado.

O bombardeio deste fim de semana no mercado também foi o mais letal do ano até agora.

O chefe da Agência Central de Inteligência, John Brennan, disse que o Estado Islâmico pode buscar alvos longe dos campos de batalha, onde o grupo tem enfrentado perdas.

Desde dezembro, as forças iraquianas têm recuperado territórios no Iraque e na Síria tomados em 2014 pelo Estado Islâmico.

(Reportagem de Patrick Rucker, Yara Bayoumy e Toni Clarke)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email