EUA autorizam venda de sistema de mísseis à Turquia

Em ação militarista que visa se contrapor à Rússia, o governo dos EUA aprovou um acordo de fornecimento do sistema de mísseis Patriot e equipamentos relacionados à Turquia, no valor de 3,5 bilhões de dólares; a informação foi divulgada pelo Departamento de Estado norte-americano

EUA autorizam venda de sistema de mísseis à Turquia
EUA autorizam venda de sistema de mísseis à Turquia
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Sputnik - O governo dos EUA aprovou um acordo de fornecimento do sistema de mísseis Patriot e equipamentos relacionados à Turquia, no valor de 3,5 bilhões de dólares. A informação foi divulgada pelo Departamento de Estado norte-americano.

"O Departamento de Estado autoriza a proposta de venda militar estrangeira do sistema de mísseis Patriot e equipamentos relacionados à Turquia no valor de 3,5 bilhões de dólares", diz o comunicado.

No ano passado, a Rússia e a Turquia assinaram um acordo de fornecimento dos sistemas de defesa aérea S-400 para Ancara. O acordo provocou desentendimentos entre Ancara e Washington, com os EUA ameaçando impor sanções contra a Turquia, já que os Estados Unidos acreditam que o equipamento é incompatível com as defesas da Otan.

O acordo tornou-se uma grande preocupação para a Otan. A vice-secretária geral da Aliança do do Atlântico Norte, Rose Gottemoeller, disse que o S-400 não se integra com os membros da Otan, enquanto o presidente do Comitê Militar da Otan, Petr Pavel, advertiu a Turquia de que poderiam haver consequências se o país adquirisse o sistema de defesa russo, alegando que isso impediria a Turquia de se tornar parte de qualquer sistema integrado de defesa aérea.

No final de abril, o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, disse que a Turquia também está considerando a compra de sistemas de defesa de mísseis Patriot ou outros sistemas de defesa aérea fabricados nos EUA, se conseguisse uma oferta justa de seus aliados da Otan.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247