EUA decidem alocar US$ 52 milhões para tentar derrubar Maduro

"Hoje, o chefe de USAID Mark Green... anunciou a atribuição de US$ 52 milhões para ajudar o desenvolvimento, para ajudar o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, seu governo e o povo do país", diz a nota do governo americano, que pretende promover um golpe de estado na Venezuela

Chanceler da Venezuela pede uma reunião entre Trump e Maduro
Chanceler da Venezuela pede uma reunião entre Trump e Maduro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputinik – A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) vai atribuir US$ 50 milhões à oposição da Venezuela, segundo um comunicado de imprensa da organização.

O chefe da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), Mark Green, teve uma reunião em Nova York com ativistas de direitos humanos e com o representante do líder da oposição venezuelana nos EUA, Carlos Vecchio.

"Hoje, o chefe de USAID Mark Green... anunciou a atribuição de US$ 52 milhões para ajudar o desenvolvimento, para ajudar o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, seu governo e o povo do país", diz a nota.

Estes fundos se destinarão a programas para apoiar a Assembleia Nacional, controlada pela oposição, assim como "os meios de comunicação independentes, a sociedade civil e a reconstrução do setor da saúde".

Esta ajuda financeira se soma "a centenas de milhões de dólares de assistência humanitária que o Governo dos EUA já proporcionou em resposta à crise regional venezuelana", além de apoiar os refugiados venezuelanos na Colômbia, Equador, Brasil, Peru e outros lugares da região, acrescentou Mark Green.

Crise política na Venezuela

A Venezuela vem experimentando um aumento da tensão política desde janeiro deste ano, depois que Guaidó se autoproclamou presidente do país e ganhou o apoio dos Estados Unidos e de mais de 50 países.

O atual presidente venezuelano, Nicolás Maduro, acusou os EUA de tentarem orquestrar um golpe de Estado para ficarem com os recursos do país.

A Rússia, China, Turquia, Bolívia e outros países reconhecem Nicolás Maduro como o único presidente legítimo da Venezuela.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email