EUA passarão a analisar redes sociais dos candidatos a visto

Os oficias de chancelaria dos EUA, ao avaliar as solicitações de visto para o país, passarão a conferir as contas dos solicitantes nas redes sociais, informou aos jornalistas o secretário de Segurança Nacional, John Kelly; "A análise das redes sociais será realizada durante o processamento das solicitações de visto", explicou o alto funcionário

Os oficias de chancelaria dos EUA, ao avaliar as solicitações de visto para o país, passarão a conferir as contas dos solicitantes nas redes sociais, informou aos jornalistas o secretário de Segurança Nacional, John Kelly; "A análise das redes sociais será realizada durante o processamento das solicitações de visto", explicou o alto funcionário
Os oficias de chancelaria dos EUA, ao avaliar as solicitações de visto para o país, passarão a conferir as contas dos solicitantes nas redes sociais, informou aos jornalistas o secretário de Segurança Nacional, John Kelly; "A análise das redes sociais será realizada durante o processamento das solicitações de visto", explicou o alto funcionário (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Os oficias de chancelaria dos EUA, ao avaliar as solicitações de visto para o país, passarão a conferir as contas dos solicitantes nas redes sociais, informou aos jornalistas o secretário de Segurança Nacional, John Kelly.

"A análise das redes sociais será realizada durante o processamento das solicitações de visto", explicou o alto funcionário.

O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou, na sexta-feira, um decreto que suspende por 120 dias o acolhimento de refugiados no país, veta por período indeterminado o acesso de refugiados da Síria. Além disso, o decreto torna mais rígido o procedimento para obtenção de visto e suspende por 90 dias a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana: Iraque, Irã, Síria, Sudão, Iêmen, Líbia e Somália.

Na segunda-feira, os procedimentos para obtenção de vistos foram dificultados para alguns países, inclusive para a Rússia.

O decreto visa ampliar o controle sobre cidadãos estrangeiros nos EUA, segundo declarações de Trump.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email