EUA prometem guerra comercial e diplomática contra Maduro

"Os Estados Unidos condenam de forma veemente a tomada de poderes legislativos pela ilegítima Assembleia Constituinte", informou o comunicado norte-americano, que não menciona a ameaça militar feita por Donal Trump. "Enquanto o regime de Maduro continuar a portar-se como uma ditadura autoritária, estamos preparados para trazer todo o peso do poder econômico e diplomático americano e apoiar o povo venezuelano na sua busca para restaurar sua democracia"

protesto venezuela
protesto venezuela (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

Os Estados Unidos pretendem usar todo o seu poder diplomático e econômico para enfrentar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, em um comunicado nesta sexta-feira.

"Os Estados Unidos condenam de forma veemente a tomada de poderes legislativos pela ilegítima Assembleia Constituinte", informou o comunicado. "Enquanto o regime de Maduro continuar a portar-se como uma ditadura autoritária, estamos preparados para trazer todo o peso do poder econômico e diplomático americano e apoiar o povo venezuelano na sua busca para restaurar sua democracia".

No início desta sexta-feira, a Assembléia Constituinte emitiu um decreto declarando que o corpo assume as funções legislativas da Assembléia Nacional. 

Os parlamentos na Argentina, Brasil, Espanha, Canadá, Costa Rica, México, Panamá, Peru e Chile acusaram a nova assembléia venezuelana de violar a constituição ao assumir o poder de aprovar as leis.

A Assembleia Constituinte foi eleita em julho para reescrever a constituição em uma tentativa de reunir pessoas de diferentes setores da sociedade. Os líderes da oposição venezuelana, entretanto, acusaram o presidente Nicolás Maduro de tentar boicotar o parlamento do país.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Mundo

Israel bombardeia bases do Hamas

O exército de Israel bombardeou bases do Hamas na Faixa de Gaza alegadamente em represália aos lançamentos de mísseis de quarta-feira, anunciaram fontes das Forças Armadas do Estado sionista.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247