EUA voltam a ameaçar Venezuela e dão prazo curto para Maduro deixar o poder

O responsável na Casa Branca para a América Latina, Mauricio Claver-Carones, afirmou nesta terça-feira (23) que o presidente venezuelano Nicolas Maduro tem "prazo curto" para deixar o poder com garantias, se não quiser enfrentar a justiça internacional e novas sanções

Nicolás Maduro
Nicolás Maduro (Foto: AVN)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O responsável na Casa Branca para a América Latina, Mauricio Claver-Carones, afirmou nesta terça-feira (23) que o presidente venezuelano  Nicolas Maduro tem "prazo curto" para deixar o poder com garantias, se não quiser enfrentar a justiça internacional e novas sanções.  

De acordo com o funcioinário, Maduro foi informado indiretamente, através de uma mensagem enviada ao seu círculo próximo, de que dispõe de um período "muito mais curto do que o fim do ano" para abandonar o governo do país.  

Logo após este anúncio, Maduro se referiu, nas redes sociais, ao que classifica como provocações norte-americanas e afirmou que continuará lutando contra qualquer forma de "agressão imperialista".  

Somos um povo que tem lutado durante mais de dois séculos contra o colonialismo, a escravatura, o racismo e a agressão imperialista de todas as formas.   Nunca nos curvaremos perante as agressões. Vamos superar todas as dificuldades e alcançaremos a prosperidade. Nosso destino é a vitória.  

Para Claver-Carone, Maduro tem duas opções: aceitar as garantias que estão sendo oferecidas para deixar o poder ou enfrentar a justiça tanto internacional como estadunidense.  Em maio, Maduro propôs à oposição a realização de eleições legislativas antecipadas para o Parlamento, que é controlado pela oposição mas atualmente está praticamente paralisado, pois as funções legislativas são exercidas pela Assembleia Nacional Constituinte.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247