Ex-membro da FARC que confessou ter assassinado político conservador pode ser expulso do Senado colombiano

Julián Gallo revelou em entrevista ter matado Álvaro Gómez, político conservador, em 1995

(Foto: Reinaldo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nesta quarta-feira (7), o governo do Colombia requisitou a expulsão do Senado de Julián Gallo, ex-comandante rebelde que confessou em entrevista ter assassinado o político conservador Álvaro Gómez em 1995.

Como reportado no Globo, Gómez foi embaixador da Colômbia nos EUA e candidato à presidência. Foi assassinado pelas FARC ao sair da faculdade onde lecionava.

O atual presidente, Iván Duque, é de um bloco político que se opõe ao acordo de paz com as FARC, assinado há quatro anos. O acordo prevê um cessar-fogo em troca da formalização do status das FARC como um partido político.

Segundo o El País, Gallo disse que nao vai renunciar. “Se a classe política que governa a Colômbia historicamente tem medo de algo, é a verdade”, disse ele.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247