Extremismo do Charlie também incomodava a França

Para o francês ‘de base’, as charges de Charlie Hebdo muitas vezes ultrapassavam o limite do aceitável e eram até consideradas uma agressão, uma forma de racismo; a censura dentro de casa era traduzida pelo baixo número de vendas; nas redes sociais, onda de mensagens de “bem-feito” também se intercalaram às de apoio às vítimas do atentado de ontem

www.brasil247.com - Para o francês ‘de base’, as charges de Charlie Hebdo muitas vezes ultrapassavam o limite do aceitável e eram até consideradas uma agressão, uma forma de racismo; a censura dentro de casa era traduzida pelo baixo número de vendas; nas redes sociais, onda de mensagens de “bem-feito” também se intercalaram às de apoio às vítimas do atentado de ontem
Para o francês ‘de base’, as charges de Charlie Hebdo muitas vezes ultrapassavam o limite do aceitável e eram até consideradas uma agressão, uma forma de racismo; a censura dentro de casa era traduzida pelo baixo número de vendas; nas redes sociais, onda de mensagens de “bem-feito” também se intercalaram às de apoio às vítimas do atentado de ontem (Foto: Roberta Namour)


Roberta Namour, correspondente do 247 em Paris – Mergulhado em uma crise financeira, o semanário Charlie Hebdo fez um apelo aos franceses com uma “vaquinha online” para salvar a publicação em novembro do ano passado. Símbolo extremo da liberdade de expressão no país, o jornal não tinha leitores o suficiente para manter sua circulação. 

O covarde ataque terrorista ocorrido ontem por extremistas islâmicos, que deixou 12 mortos e mais uma dezena de feridos, levou mais de 100 mil franceses às ruas em protesto. Todos levantaram a bandeira do “Je suis Charlie”, em nome da democracia.

Mas não demorou até que as redes sociais estampassem o que grande parte da sociedade francesa pensava de Charlie Hebdo. Para o francês ‘de base’, suas charges muitas vezes ultrapassavam o limite do aceitável e eram até consideradas uma agressão, uma forma de racismo. A forma de censura dentro de casa era traduzida pelo baixo número de vendas. Nada, porém, justifica o fim trágico ocorrido na tarde de ontem, em Paris.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email