Fala de Bolsonaro na ONU prejudica acordo Mercosul-UE

Em seu discurso perante a ONU nesta terça-feira (24), Bolsonaro se referiu ao acordo Mercosul-União Europeia como um dos feitos do seu governo, mas para analista político ouvido pela Sputnik, sua fala pode prejudicar esse acordo

Jair Bolsonaro discursa na Assembleia Geral da ONU, em Nova York
Jair Bolsonaro discursa na Assembleia Geral da ONU, em Nova York (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - "Em apenas oito meses, concluímos os dois maiores acordos comerciais da história do país, aqueles firmados entre o Mercosul e a União Europeia e entre o Mercosul e a Área Europeia de Livre Comércio, o EFTA. Pretendemos seguir adiante com vários outros acordos nos próximos meses", disse Bolsonaro.

Para o cientista político Antônio Marcelo Jackson, professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), a fala de BOlsonaro atacando alguns líderes europeus pode gerar prejuízos ao acordo firmado entre o Mercosul e União Europeia.

"Diversos organismos na França, na Alemanha e em vários outros países já começaram a minar esse acordo em função das questões ambientais. Ou seja, o fato desse acordo ter sido costurado ao longo dos anos não significa que na medida que o Brasil não cumpra sua parte ligada a questão ambiental que o acordo será mantido", disse à Sputnik Brasil.

Na última quarta-feira (19) quase todos os partidos do subcomitê da União Europeia do Parlamento austríaco votaram contra o projeto do acordo. Isso significa que o governo deve votar contra o acordo no nível da UE.

"A resposta é que eles podem voltar atrás, não é inconveniente nenhum", afirmou Antônio Marcelo Jackson.

O cientista político diz que o discurso de Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU promove a desunião entre os países.

"É uma fala que estaria muito mais no terreno da desunião do que o de uma solidariedade, de uma união global dos países para uma Assembleia Geral das Nações Unidas", analisou.


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email