FBI reafirma que não processará Hillary por e-mails

O diretor do FBI, James Comey, disse neste domingo ao Congresso dos EUA que a recente revisão de e-mails descobertos não mudou a conclusão de que não há acusações que justifiquem um processo contra a candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, relativo ao uso de um servidor privado de e-mail enquanto era secretária de Estado; em carta ao Congresso, Comey disse que a agência concluiu a revisão dos novos e-mails e que "não mudamos as conclusões que informamos em julho com respeito à secretária Clinton"; o anúncio pode dar impulso à campanha de Hillary a 48 horas das eleições

O diretor do FBI, James Comey, disse neste domingo ao Congresso dos EUA que a recente revisão de e-mails descobertos não mudou a conclusão de que não há acusações que justifiquem um processo contra a candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, relativo ao uso de um servidor privado de e-mail enquanto era secretária de Estado; em carta ao Congresso, Comey disse que a agência concluiu a revisão dos novos e-mails e que "não mudamos as conclusões que informamos em julho com respeito à secretária Clinton"; o anúncio pode dar impulso à campanha de Hillary a 48 horas das eleições
O diretor do FBI, James Comey, disse neste domingo ao Congresso dos EUA que a recente revisão de e-mails descobertos não mudou a conclusão de que não há acusações que justifiquem um processo contra a candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, relativo ao uso de um servidor privado de e-mail enquanto era secretária de Estado; em carta ao Congresso, Comey disse que a agência concluiu a revisão dos novos e-mails e que "não mudamos as conclusões que informamos em julho com respeito à secretária Clinton"; o anúncio pode dar impulso à campanha de Hillary a 48 horas das eleições (Foto: Romulo Faro)

247 - O diretor do FBI, James Comey, disse neste domingo (6) ao Congresso dos Estados Unidos que a recente revisão de e-mails descobertos não mudou a conclusão de que não há acusações que justifiquem um processo contra a candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, relativo ao uso de um servidor privado de e-mail enquanto era secretária de Estado.

Em carta ao Congresso, Comey disse que a agência concluiu a revisão dos novos e-mails e que "não mudamos as conclusões que informamos em julho com respeito à secretária Clinton". O anúncio pode dar impulso à campanha de Hillary a 48 horas das eleições.

"A equipe de investigação do FBI tem trabalhado intensamente na análise de um grande volume de e-mails de um dispositivo obtido em uma outra investigação criminal". "Durante esse processo, nós revisamos todas as comunicações enviadas ou recebidas por Hillary Clinton enquanto era Secretária de Estado", disse Comey.

A diretora de campanha de Hillary, Jennifer Palmieri, disse a jornalistas que viajam com ela que sua equipe "comemora (que o FBI) tenha confirmado, tal como confiávamos que faria, as conclusões às quais chegou em julho".

A carta enviada por Comey ao Congresso mais de uma semana atrás informando a descoberta de novos e-mails tumultuou a corrida eleitoral em sua reta final. "Estou muito grato aos profissionais do FBI por terem feito uma quantidade extraordinária de trabalho de alta qualidade em um curto período de tempo", disse.

"Nós nos alegramos de que este assunto tenha sido resolvido", afirmou Palmieri.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247