Fitch também corta rating do Reino Unido

 Após a Standard & Poor's, a agência e classificação de risco Fitch também reduziu a nota de crédito do Reino Unido, que passou de AA+ para AA; para a empresa, o referendo da semana passada provocará um "quadro político menos previsível, estável e eficaz"; a agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu nesta segunda (27) a nota de crédito do Reino Unido de AAA para AA e manteve como negativas as perspectivas do país devido ao resultado do referendo da semana passada

 Após a Standard & Poor's, a agência e classificação de risco Fitch também reduziu a nota de crédito do Reino Unido, que passou de AA+ para AA; para a empresa, o referendo da semana passada provocará um "quadro político menos previsível, estável e eficaz"; a agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu nesta segunda (27) a nota de crédito do Reino Unido de AAA para AA e manteve como negativas as perspectivas do país devido ao resultado do referendo da semana passada
 Após a Standard & Poor's, a agência e classificação de risco Fitch também reduziu a nota de crédito do Reino Unido, que passou de AA+ para AA; para a empresa, o referendo da semana passada provocará um "quadro político menos previsível, estável e eficaz"; a agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu nesta segunda (27) a nota de crédito do Reino Unido de AAA para AA e manteve como negativas as perspectivas do país devido ao resultado do referendo da semana passada (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ansa Brasil - Após a Standard & Poor's, a agência e classificação de risco Fitch também reduziu a nota de crédito do Reino Unido, que passou de AA+ para AA.

Para a empresa, o referendo da semana passada provocará um "quadro político menos previsível, estável e eficaz".

A agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu hoje (27) a nota de crédito do Reino Unido de AAA para AA e manteve como negativas as perspectivas do país devido ao resultado do referendo da semana passada.

Com a iminente saída de Londres da União Europeia, a S&P decidiu retirar da economia britânica a classificação "triple A", a maior de todas. "O corte reflete os riscos de uma clara piora nas condições de financiamento e os riscos para as perspectivas econômicas, de orçamento e sobre o papel da libra esterlina como moeda de reserva", explicou a agência.

Segundo a Standard & Poor's, até o quadro constitucional do Reino Unido está ameaçado, já que a Escócia quer realizar um novo plebiscito de independência, para assim permanecer na UE.

Os efeitos da chamada "Brexit" (termo em inglês para "saída britânica") também foram sentidos nas principais bolsas de valores europeias nesta segunda-feira. Em Milão, o índice FTSE MIB fechou o pregão com queda de 3,94%, caindo para 15.103 pontos. Já o FTSE 100, da Bolsa de Londres, sofreu perdas de 2,55% e chegou a 5.982 pontos.

Resultados semelhantes foram vistos em Frankfurt (-3,02%) e Paris (-2,97%). Estima-se que as bolsas europeias tenham perdido 282 bilhões de euros nesta segunda por causa do referendo britânico.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247