França e Alemanha condenam publicação de suas cartas pela Rússia por quebrar regras diplomáticas

O chanceler russo Sergei Lavrov indicou que foram as declarações incorretas de seus homólogos da França e Alemanha que levaram à publicação de cartas

www.brasil247.com - Os chanceleres da Rússia, Lavrov, e da França, Le Drian
Os chanceleres da Rússia, Lavrov, e da França, Le Drian (Foto: Sputnik)


Sputnik - Na quinta-feira (18), a França e a Alemanha acusaram a Rússia de quebrar o protocolo diplomático depois que Moscou publicou sua correspondência confidencial sobre a realização de mais uma reunião no chamado quarteto da Normandia sobre a Ucrânia.

Na quarta-feira (17), o Ministério das Relações Exteriores da Rússia divulgou várias cartas diplomáticas entre o chanceler russo Sergei Lavrov e seus homólogos da França e Alemanha, Jean-Yves Le Drian e Heiko Maas, tentando mostrar que sua posição sobre a situação no Leste da Ucrânia foi distorcida.

"Ultimamente, a posição da Rússia, seu papel na resolução do conflito ucraniano e as abordagens para realizar uma possível reunião ministerial do quarteto da da Normandia têm sido distorcidos. Para evitar mais especulações, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia decidiu divulgar os documentos originais", comunicou o ministério russo.

Comentando a publicação da correspondência diplomática, o chanceler russo Sergei Lavrov indicou que foram as declarações incorretas de seus homólogos da França e Alemanha que levaram à publicação de cartas.

Lavrov disse que a reunião do quarteto da Normandia será realizada apenas quando Kiev cumprir todas as cláusulas do Acordo de Minsk.

Resposta da França e Alemanha

A chancelaria francesa informou ter tomado conhecimento da divulgação das cartas e considerar que a ação contradiz as normas diplomáticas.

"Consideramos que esta abordagem é contrária às regras e costumes diplomáticos", disse aos jornalistas a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da França, Anne-Claire Legendre.

O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha declarou à Sputnik que considera a publicação da correspondência "um passo que viola as práticas diplomáticas".

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou que não está surpreendida com a publicação, mas lamentou que a reunião no formado da Normandia não tenha ocorrido.

"A publicação de cartas não é assim tão surpreendente. Leio frequentemente minhas cartas nos jornais. Certamente não temos nada a esconder", comentou.

Merkel adicionou que pediu a Vladimir Putin para organizar outra rodada de conversas antes de ela sair do cargo.

A chanceler alemã disse lamentar que o presidente russo ainda não o tenha feito "uma vez que as reuniões têm sua própria dinâmica" e permitem fazer progressos mesmo em situações aparentemente insolúveis.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email