França prende 208 em protesto antes da COP21

Polícia francesa deteve 208 manifestantes no centro de Paris após diversos grupos violarem a proibição de manifestações na capital, em vigor desde os atentados terroristas do último dia 13; Marcha pelo Clima, que estava agendada para esta segunda-feira (30), foi cancelada por causa dos atentados que deixaram 130 mortos e 350 feridos; "Sabemos que existiam elementos perturbadores que nada têm a ver com os ambientalistas", disse o presidente francês, François Hollande, ao comentar o episódio

Polícia francesa deteve 208 manifestantes no centro de Paris após diversos grupos violarem a proibição de manifestações na capital, em vigor desde os atentados terroristas do último dia 13; Marcha pelo Clima, que estava agendada para esta segunda-feira (30), foi cancelada por causa dos atentados que deixaram 130 mortos e 350 feridos; "Sabemos que existiam elementos perturbadores que nada têm a ver com os ambientalistas", disse o presidente francês, François Hollande, ao comentar o episódio
Polícia francesa deteve 208 manifestantes no centro de Paris após diversos grupos violarem a proibição de manifestações na capital, em vigor desde os atentados terroristas do último dia 13; Marcha pelo Clima, que estava agendada para esta segunda-feira (30), foi cancelada por causa dos atentados que deixaram 130 mortos e 350 feridos; "Sabemos que existiam elementos perturbadores que nada têm a ver com os ambientalistas", disse o presidente francês, François Hollande, ao comentar o episódio (Foto: Paulo Emílio)

Lusa - A polícia francesa deteve 208 pessoas no centro de Paris nos incidentes registados hoje (29) quando grupos violentos violaram a proibição de manifestações na capital francesa em vigor desde os atentados terroristas do último dia 13.

A Marcha pelo Clima, que estava agendada para hoje em Paris foi cancelada por causa dos atentados que deixaram 130 mortos e 350 feridos. A partir de amanhã (30), a capital francesa sedia a Conferência das Partes das Nações Unidas sobre o Clima (COP21).

O total de detidos foi informado pelo ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve. Em declarações à imprensa, ele disse que 174 dos detidos tinham registros de prisão e garantiu que as operações das forças de segurança vão continuar.

Cazeneuve ressaltou que os incidentes tinham sido provocados por uma "minoria violenta" composta por dezenas de indivíduos que se aproveitaram do cordão humano promovido por ambientalistas na Praça da República para promoverem uma marcha violenta.

O presidente francês, François Hollande, criticou o que designou de ação "escandalosa" de "elementos perturbadores". "Sabemos que existiam elementos perturbadores que nada têm a ver com os ambientalistas", declarou o chefe de Estado francês em Bruxelas, onde participa de um encontro da União Europeia (UE) com a Turquia. Ele classificou os incidentes de "lamentáveis e até escandalosos".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247