General angolano quer processar Brasil e Portugal

General angolano Bento dos Santos, que é sobrinho do ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, declarou se sentir vítima de "humilhação pública" em processos favoráveis para ele e declarou que vai processar o Brasil e Portugal para ser indenizado pelos processos judiciais que resultaram em decisões a seu favor; Ministério Público do Brasil e de Portugal suspeitavam que ele chefiava uma rede de tráfico de mulheres para prostituição, além de praticar lavagem de dinheiro, mas acabou liberado das acusações

General angolano Bento dos Santos, que é sobrinho do ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, declarou se sentir vítima de "humilhação pública" em processos favoráveis para ele e declarou que vai processar o Brasil e Portugal para ser indenizado pelos processos judiciais que resultaram em decisões a seu favor; Ministério Público do Brasil e de Portugal suspeitavam que ele chefiava uma rede de tráfico de mulheres para prostituição, além de praticar lavagem de dinheiro, mas acabou liberado das acusações
General angolano Bento dos Santos, que é sobrinho do ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, declarou se sentir vítima de "humilhação pública" em processos favoráveis para ele e declarou que vai processar o Brasil e Portugal para ser indenizado pelos processos judiciais que resultaram em decisões a seu favor; Ministério Público do Brasil e de Portugal suspeitavam que ele chefiava uma rede de tráfico de mulheres para prostituição, além de praticar lavagem de dinheiro, mas acabou liberado das acusações (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O general angolano, Bento dos Santos, que é sobrinho do ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, declarou se sentir vítima de "humilhação pública" em processos favoráveis para ele.

Em entrevista à agência de notícias Lusa, Bento dos Santos "Kagamba" declarou que vai processar o Brasil e Portugal para ser indenizado pelos processos judiciais que resultaram em coisas favoráveis para ele, segundo comunica o diário Público.

De acordo com notícias, o general, marido da sobrinha de José Eduardo dos Santos, considera-se "humilhado" na sequência das ações do Ministério Público do Brasil, que suspeitava que ele estaria chefiando uma rede de tráfico de mulheres para prostituição, bem como do mesmo órgão português que, supostamente, estava investigando o ex-presidente por suspeitas de lavagem de dinheiro.

Tanto no Brasil como em Portugal houve decisões judiciais favoráveis para ele: foi libertado no Brasil, e o processo em Portugal acabou por ser arquivado.

O general acredita que isso prejudica a sua imagem e a da sua família, para não falar do povo angolano. O mandado internacional de captura emitido pelo Brasil, nunca foi cumprido.

A investigação portuguesa realizou as buscas em sua casa e em habitações dos familiares.

Assim, foram apreendidos milhões de euros e patrimônio do general, que é patrocinador e investidor do clube de futebol Vitória de Guimarães.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247