Golpistas bolivianos deixam um saldo de 32 mortos, 832 feridos e 1.513 detidos, diz Parlasul

A Comissão de Direitos Humanos do Parlamento do Mercosul (Parlasul) divulgou um relatório denunciando os números da ditadura boliviana, implantada após o golpe contra Evo Morales: os golpistas já deixaram 32 mortos, 832 feridos e 1.513 detidos

247 - A Comissão de Direitos Humanos do Parlamento do Mercosul (Parlasul) divulgou um relatório denunciando os números da ditadura boliviana, implantada após o golpe contra Evo Morales: os golpistas já deixaram 32 mortos, 832 feridos e 1.513 detidos.

A reportagem da Revista Fórum destaca a fala da deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS), que representou o Brasil na comitiva do Parlasul: "o governo autoproclamado de Jeanine Añez tenta passar a imagem de que há democracia no país, mas a repressão aos opositores políticos continua extremamente forte. Nosso continente tem as cicatrizes dos golpes e ditaduras."

A matéria ainda acrescenta que "a comissão também denuncia ter encontrado discursos e ataques de ódio racial dirigidos aos povos indígenas do país, principalmente a suas mulheres e seus símbolos, graves ameaças, ataque físicos e às moradias dirigidas a líderes, congressistas e dirigentes sociais, funcionários e funcionárias e dirigentes de instituições independentes do Estado, como os organismos nacionais de promoção e amparo dos direitos humanos."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247