Governo Bolsonaro ignora pedido de visita de relator da ONU ao Brasil

O governo de Jair Bolsonaro está ignorando o pedido do relator especial da ONU para a Promoção da Verdade, Justiça e Reparação, Fabián Salvioli, para realizar uma missão ao Brasil. O objetivo é avaliar como o governo está lidando com as vítimas da ditadura (1964-1985), se a estruturas de reparação estão funcionando e se Justiça está sendo feita.

Conselho de Direitos Humanos da ONU
Conselho de Direitos Humanos da ONU (Foto: UN Photo / Jean-Marc FerrŽ )

247 - O governo de Jair Bolsonaro está ignorando o pedido do relator especial da ONU para a Promoção da Verdade, Justiça e Reparação, Fabián Salvioli, para realizar uma missão ao Brasil. Seu objetivo é avaliar como o governo está lidando com as vítimas da ditadura (1964-1985), se a estruturas de reparação estão funcionando e se Justiça está sendo feita. A informação é do jornalista Jamil Chade, que acompanha em Genebra as atividades do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Relatório publicado pela ONU, que será alvo de um debate nesta quarta-feira (10), em Genebra assinala que o pedido de visita foi oficialmente feito 

Embora afirme que todos os relatores da ONU podem visitar o país, o governo brasileiro condiciona a visita a um acordo sobre datas, protelando o oferecimento de uma data para que Salvioli faça uma visita ao Brasil.

O relator foi quem, em final de março, enviou uma carta ao governo brasileiro protestando contra a decisão de Bolsonaro de ordenar a comemoração do Golpe de 1964, destaca Jamil Chade. 

Salvioli considera a ordem de Bolsonaro "um retrocesso inaceitável" e  chegou a qualificar a iniciativa do titular do Planalto de "imoral". 

Como resposta, o governo brasileiro enviou uma dura carta ao relator. Nela, se nega a reconsiderar sua atitude e ainda alerta que 1964 foi um ato "legítimo".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247