Governo britânico defende detenção de brasileiro

"O governo e a polícia têm o dever de proteger o público e nossa segurança nacional", disse um porta-voz do Ministério do Interior britânico em comunicado; com base na lei antiterrorismo, David Miranda, companheiro do jornalista que denunciou o esquema de espionagem americano, foi detido e interrogado por nove horas num aeroporto de Londres

David Miranda (2nd L), partner of U.S. journalist Glenn Greenwald (L), speaks to the media at Rio de Janeiro's International Airport August 19, 2013. British authorities used anti-terrorism powers on Sunday to detain Miranda, whose partner Greenwald has c
David Miranda (2nd L), partner of U.S. journalist Glenn Greenwald (L), speaks to the media at Rio de Janeiro's International Airport August 19, 2013. British authorities used anti-terrorism powers on Sunday to detain Miranda, whose partner Greenwald has c (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

LONDRES, 20 Ago (Reuters) - O governo britânico defendeu nesta terça-feira a detenção, baseada na lei antiterrorismo, do companheiro brasileiro do jornalista que denunciou os programas secretos de vigilância britânico e dos EUA com base em vazamentos de Edward Snowden, alegando que o Estado tem o dever de "proteger o público".

O brasileiro David Miranda, companheiro do jornalista norte-americano Glenn Greenwald, foi interrogado durante nove horas no domingo no aeroporto de Heathrow, em Londres, antes de ser liberado sem acusações. O incidente despertou cobranças por explicação de por que os poderes antiterrorismo foram usados para detê-lo.

"O governo e a polícia têm o dever de proteger o público e nossa segurança nacional", disse um porta-voz do Ministério do Interior britânico em comunicado.

"Se a polícia acredita que um indivíduo está na posse de informações roubadas altamente sensíveis, que poderiam ajudar o terrorismo, então ela deve agir e a lei lhes proporciona uma estrutura para fazer isso."

"Aqueles que se opõem a esse tipo de ação precisam pensar sobre o que estão consentindo."

(Reportagem de Michael Holden)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email