Governo Maduro fecha acordo com oposição na Venezuela

O chefe da delegação do governo para o diálogo na Venezuela, Jorge Rodríguez, afirmou que o governo fez um acordo com a oposição e que estão prontos para assiná-lo; ele também reforçou que as eleições presidenciais devem ser realizada antes de 30 de abril deste ano, conforme a prevê a Assembléia Constituinte; o anúncio do ministro ocorre justamente no dia em que o governo brasileiro soltou uma nota criticando o governo de Nicolás Maduro, ao dizer que a gestão toma decisões desfavoráveis a partidos e candidatos oposicionistas naquele País


O chefe da delegação do governo para o diálogo na Venezuela, Jorge Rodríguez, afirmou que o governo fez um acordo com a oposição e que estão prontos para assiná-lo; ele também reforçou que as eleições presidenciais devem ser realizada antes de 30 de abril deste ano, conforme a prevê a Assembléia Constituinte; o anúncio do ministro ocorre justamente no dia em que o governo brasileiro soltou uma nota criticando o governo de Nicolás Maduro, ao dizer que a gestão toma decisões desfavoráveis a partidos e candidatos oposicionistas naquele País
O chefe da delegação do governo para o diálogo na Venezuela, Jorge Rodríguez, afirmou que o governo fez um acordo com a oposição e que estão prontos para assiná-lo; ele também reforçou que as eleições presidenciais devem ser realizada antes de 30 de abril deste ano, conforme a prevê a Assembléia Constituinte; o anúncio do ministro ocorre justamente no dia em que o governo brasileiro soltou uma nota criticando o governo de Nicolás Maduro, ao dizer que a gestão toma decisões desfavoráveis a partidos e candidatos oposicionistas naquele País (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O chefe da delegação do governo para o diálogo na Venezuela, Jorge Rodríguez, afirmou que o governo fez uma acordo com a oposição venezuelana e que estão prontos para assiná-lo. Ele também reforçou que as eleições presidenciais devem ser realizada antes de 30 de abril deste ano, conforme a prevê a Assembléia Constituinte. As informações foram publicadas no site RT Sepa Más.

O anúncio do ministro ocorre justamente no dia em que o governo brasileiro soltou uma nota criticando o governo de Nícolas Maduro, ao dizer que a gestão toma decisões desfavoráveis a partidos e candidatos oposicionistas naquele país. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse haver um "sistemático e inaceitável empenho do regime autoritário venezuelano em eliminar da atividade política partidos, frentes e personalidades da oposição".

O Itamaraty disse que vê a decisão como mais uma evidência do "absoluto desapreço" das autoridades do país vizinho pelo pluralismo político e partidário. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, vai disputar a reeleição nas eleições presidenciais antecipadas, que devem ser realizadas até o dia 30 de abril.

 


 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247