Governo Trump diz que crianças devem voltar para a escola mesmo se transmitirem Covid-19

As crianças devem voltar para a escola mesmo se for comprovado que elas transmitem o novo coronavírus, que já matou mais de 140 mil pessoas nos Estados Unidos, disse nesta sexta-feira a secretária de Imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany

Presidente dos EUA, Donald Trump
Presidente dos EUA, Donald Trump (Foto: REUTERS/Leah Millis)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O governo do presidente Donald Trump defende a volta às aulas, mesmo que se as crianças transmitirem o coronavírus. O chefe da Casa Branca tem defendido a reabertura das escolas do país, que fecharam de forma abrupta na primavera (do Hemisfério Norte), quando o coronavírus começou a se espalhar pelos EUA —apesar das preocupações de professores e famílias sobre a possibilidade de as crianças contraírem ou transmitirem a doença quando voltarem às salas de aula.

“Mesmo que haja a transmissão e estudos sejam publicados no futuro, digamos assim, nós acreditamos que os estudantes devem voltar para a escola porque o efeito em uma criança, nós sabemos —cientificamente, eles não são afetados da mesma maneira que um adulto”, disse McEnany em entrevista coletiva.

Ela respondia a uma pergunta sobre comentários feitos pela médica Deborah Birx, que faz parte da força-tarefa da Casa Branca para o coronavírus, a respeito do comportamento da doença em crianças.

Birx disse nesta sexta-feira, ao programa de TV “Today”, que “ainda há uma questão em aberto” sobre a velocidade com que crianças com menos de 10 anos propagam a doença. Ela citou um estudo sul-coreano que indicou que pessoas com menos de 10 anos transmitem o vírus em menor nível, enquanto as crianças com mais de 10 anos têm a mesma taxa de transmissibilidade que adultos.

Birx também afirmou que crianças com comorbidades podem “sofrer consequências terríveis” se forem infectadas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247