Grécia: polícia e manifestantes entram em choque

Cerca de 10 mil manifestantes tomaram as ruas de Atenas em protesto contra novas medidas de austeridade; jovens jogaram bombas e pedras na polcia, que respondeu com o disparo de gs lacrimogneo

Grécia: polícia e manifestantes entram em choque
Grécia: polícia e manifestantes entram em choque (Foto: Yiorgos Karahalis/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Confrontos entre a polícia e jovens irromperam na frente do Parlamento grego nesta quinta-feira, quando cerca de 10 mil manifestantes, segundo a polícia, tomaram as ruas do centro de Atenas em protesto contra novas medidas de austeridade. Os jovens jogaram bombas e pedras na polícia, que respondeu com o disparo de gás lacrimogêneo. Pelo menos duas pessoas foram detidas.

As manifestações em Atenas se seguem a um impasse político que durou quase duas semanas e só acabou quando os dois maiores partidos, o socialista Pasok e a Nova Democracia, de centro-direita, concordaram em formar um governo de unidade, chefiado pelo premiê Lucas Papademos. Analistas políticos dizem que os protestos de hoje refletem o humor das ruas frente às novas medidas de austeridade, que a Grécia terá que adotar se quiser receber o segundo pacote de auxílio da União Europeia (UE), de € 130 bilhões.

Um segundo protesto está previsto para mais tarde nesta quinta-feira em Atenas, liderado pelo sindicato Pame, ligado aos comunistas. O 17 de novembro marca na Grécia o aniversário de uma rebelião estudantil em 1973 que levou ao fim da ditadura militar alguns meses depois, em 1974. Normalmente, grupos estudantis e de sindicalistas marcham até a Embaixada dos Estados Unidos em Atenas, uma vez que os EUA são vistos como cúmplices porque apoiaram a junta militar.

Embora pesquisas de opinião mostrem que o governo recém-formado por Papademos tem amplo apoio popular, muitos gregos estão exaustos com as medidas de austeridade adotadas nos últimos dois anos. As informações são da Dow Jones.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email