'Greve do Clima' é a palavra do ano, diz Dicionário Collins

O ano foi marcado por intensos e históricos movimentos populares em defesa do meio ambiente por todo o mundo. Em setembro, durante a Cúpula Climática da ONU em Nova York, milhões de pessoas aderiram à greve do clima

Sputnik - Com protestos climáticos surgindo em todo o mundo, o Dicionário Collins declarou "greve do clima" sua palavra do ano de 2019.

A empresa baseada em Glasgow baseia sua escolha em uma pesquisa anual de sites, jornais, revistas e mídias sociais para ver quais palavras em inglês tiveram o aumento mais significativo em seu uso.

O termo, associado ao movimento climático global liderado pela ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, descreve protestos em que estudantes faltam à escola ou adultos faltam ao trabalho para pressionar por ações mais rápidas contra as ameaças climáticas.

"Isso realmente mostra o impacto que os jovens tiveram no aumento [do reconhecimento] da crise climática", disse Jake Woodier, ativista e organizador da UK Student Climate Network, à Thomson Reuters Foundation.

As greves climáticas deste ano — inclusive em setembro, durante a Cúpula Climática da ONU em Nova York — atraíram milhões de participantes em todo o mundo.

O primeiro uso documentado de "greve climática" foi em 2015, quando o termo foi usado para descrever uma manifestação em massa que coincidiu com uma conferência da ONU em que o Acordo em Paris foi colocado em vigor, afirma o Dicionário Collins.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247