Grupo de Puebla pede para OEA validar vitória eleitoral de Evo Morales

Apelo se baseia em um novo informe, o terceiro que desmente a auditoria sobre que a eleição teria sido fraudada, e que foi usada como justificativa do golpe de Estado civil-militar de novembro de 2019, que levou a ditadora Jeanine Áñez ao poder

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O Grupo Puebla, aliança entre partidos e organizações progressistas da América Latina e do Caribe, divulgou uma declaração nesta quarta-feira (10), na qual solicita à OEA (Organização dos Estados Americanos), que mude sua postura e trabalhe para “restaurar a legitimidade democrática na Bolívia”, quebrada após o golpe de Estado contra Evo Morales em novembro de 2019 .

A declaração, divulgada no site do Grupo, expressa sua “preocupação com as novas evidências que esclarecem a declaração apressada e intencional da OEA”. A frase é uma clara alusão à auditoria feita pelo organismo sobre as eleições de outubro, vencidas por Evo Morales no primeiro turno. Nesse estudo, a OEA indicou que houve fraude a favor de Evo durante o processo, o que serviu como justificativa para os golpistas durante os atos que levaram a derrubada do governo democrático.

O Grupo de Puebla é formado por vários ex-presidentes latino-americanos, entre eles dois brasileiros, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, e também com Pepe Mujica (Uruguai), Cristina Kirchner (Argentina), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai) e Ernesto Samper (Colômbia), além do próprio Evo Morales. Também conta com um presidente em exercício, o argentino Alberto Fernández.

Continue lendo na Fórum.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247