Guaidó pode pegar até 30 anos de prisão, diz juiz

O líder da oposição Juan Guaidó que se autodeclarou presidente interino da Venezuela com o apoio dos EUA, pode enfrentar uma pena de até 30 anos de prisão por violar uma proibição de viajar; o juiz adjunto do Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, Juan Carlos Valdez, disse à Sputnik na terça-feira (26), que a visita de Guaidó à Colômbia no dia 22 de fevereiro violou a proibição de viajar imposta pelo Poder Judiciário venezuelano

Guaidó pode pegar até 30 anos de prisão, diz juiz
Guaidó pode pegar até 30 anos de prisão, diz juiz

247, com Sputnik - O líder da oposição Juan Guaidó que se autodeclarou presidente interino da Venezuela com o apoio dos EUA, pode enfrentar uma pena de até 30 anos de prisão por violar uma proibição de viajar.

O juiz adjunto do Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, Juan Carlos Valdez, disse à Sputnik na terça-feira (26), que a visita de Guaidó à Colômbia no dia 22 de fevereiro violou a proibição de viajar imposta pelo Poder Judiciário venezuelano.

"Ele é uma pessoa que se esconde da justiça. O que acontece com os fugitivos que estão voltando ao país e são achados pelas autoridades? Eles devem ser capturados e enviados para a prisão", disse Valdez, acrescentando que "ele pode enfrentar até 30 anos de prisão".

Os promotores estão atualmente analisando a conduta de Guiadó relativamente a possíveis crimes, acrescentou o juiz.

Guaidó viajou à Colômbia na sexta-feira (22), alegadamente para liderar uma "onda humana" através da fronteira e forçar a entrada da "ajuda humanitária" fornecida pelos EUA. Porém, além de a ajuda não ter entrado, Guaidó não foi visto em nenhum lugar, enquanto seus seguidores se envolveram em confrontos com as forças de segurança.

Posteriormente, o autoproclamado presidente viajou à capital colombiana, Bogotá, onde participou na segunda-feira (25) da reunião do Grupo de Lima, apoiando a tentativa dos EUA de forçarem a derrubada pela força do presidente Nicolás Maduro.

Durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na Venezuela, nesta terça-feira (26), o enviado especial dos EUA, Elliott Abrams, anunciou que serão aplicadas mais sanções contra Caracas ainda nesta semana.

"Dissemos que as sanções vão continuar, anunciamos as sanções ontem [...] Haverá mais, haverá mais nesta semana, haverá mais na próxima semana. Continuaremos a impor sanções a membros do alto escalão do regime e a pessoas que lidam com os assuntos financeiros", afirmou Abrams.

Guaidó disse à emissora colombiana NTN24 que pretende voltar à Venezuela apesar do risco de ser preso.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247