Guarda Nacional é acionada para conter protestos no Oregon após Trump tentar judicializar eleição (vídeos)

Escritório do Xerife do Condado de Multnomah declarou motim em Portland, no estado norte-americano do Oregon, após protestos contra a tentativa da campanha de Donald Trump de interromper a contagem de votos em vários estados

(Foto: © REUTERS / Goran Tomasevic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O anúncio da campanha de Trump de querer interromper contagem de votos na Pensilvânia e em Michigan, que ainda estão apurando votos, levou a protestos de pró-democratas.

Na noite de quarta-feira (4), o Escritório do Xerife do Condado de Multnomah declarou motim em Portland, no estado norte-americano do Oregon, com imagens mostrando manifestantes quebrando janelas e danificando propriedades.

Manifestantes foram às ruas protestar contra processos da campanha de Trump que visam interromper a contagem de votos nos estados mais acirrados, tendo sido vistos carregando cartazes com mensagem "Contem cada voto", observou o jornal The New York Times.

De acordo com dados preliminares, os cidadãos do Oregon votaram em Biden na eleição de terça-feira (3), e reelegeram dois senadores democratas dos EUA.

A governadora democrática do Oregon, Kate Brown, ativou a Guarda Nacional do estado para ajudar os policiais a gerir a agitação, de acordo com o gabinete do xerife.

"Nós não tomamos esta decisão de ânimo leve. Sob a ordem da governadora, continuamos trabalhando juntos e compartilhando nossos recursos e informações para tratar de quaisquer preocupações de segurança pública", diz um comunicado do escritório, que anunciou destacamento e citou prontidão para responder "a quaisquer atos de violência, para manter a ordem pública e garantir a segurança da comunidade".

"Nosso objetivo é manter nossa comunidade segura. Encorajamos os manifestantes a se reunirem pacificamente."

A governadora anunciou anteriormente que os policiais e tropas estaduais permaneceriam sob o comando conjunto da Polícia Estadual do Oregon e do Departamento do Xerife em Portland até sexta-feira (6), uma vez que a incerteza sobre as eleições presidenciais americanas ainda paira sobre os EUA.

A Guarda Nacional de Portland relatou atos de violência.

Comando Unificado sobre ativação da Guarda Nacional: está ocorrendo violência generalizada no centro de Portland. Em prol da segurança pública, a governadora Kate Brown, sob orientação do Comando Unificado, ativou o uso da Guarda Nacional do Oregon para auxiliar as autoridades locais na resposta a quaisquer atos de violência, e para manter a ordem pública e garantir a segurança da comunidade. Os membros da guarda são treinados em controle de multidões e estarão cavalgando com equipes de resposta locais. Eles estão vestidos com roupas de estilo militar, que é o uniforme deles.

Os manifestantes jogaram coquetel Molotov e garrafas de vidro. Um dos detentos foi encontrado com uma espingarda. A polícia também mostrou os itens que haviam sido retirados dos manifestantes. O canal Fox News relatou que os funcionários da Guarda Nacional viajariam com grupos de resposta locais.

"É importante confiar no processo e no sistema que tem garantido eleições livres e justas neste país ao longo das décadas, mesmo em tempos de grande crise", disse outro comunicado da governadora Brown. "Estamos todos juntos nisto [...] então vamos trabalhar juntos para manter nossos companheiros do Oregon seguros."

Após o tumulto em torno dos próximos resultados eleitorais e do momento em que estarão disponíveis, protestos semelhantes irromperam nos estados de Seattle e Nova York, com manifestantes vistos carregando bandeiras pró-Biden. Alguns deles foram vistos em confrontos com agentes da polícia.

Situação eleitoral

Com 87% dos votos agora apurados no estado, o candidato democrata Joe Biden já foi declarado vencedor lá com mais de 17% de vantagem.

Biden foi agora chamado de vencedor preliminar em alguns estados-chave das eleições, incluindo Wisconsin, onde a campanha de Donald Trump "imediatamente" solicitou recontagem, pois o estado anteriormente pró-republicano virou pró-democrata da noite para o dia com a contagem de novos votos.

Funcionários da campanha de Trump também anunciaram que entrariam com processos judiciais em Michigan e Pensilvânia para interromper a contagem dos votos devido à ausência do acesso de observadores republicanos aos locais de contagem, havendo também outra suposta ação judicial na Geórgia para exigir "a separação de toda e qualquer cédula que chegue tarde".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247