Guru da direta, Vargas Llosa diz que história não absolverá Fidel

O escritor peruano Mario Vargas Llosa, comentou a morte do líder cubano Fidel Castro; “Espero que esta morte inicie em Cuba um período de apertura, de tolerância, de democratização. Ele disse que história o absolverá. Eu estou seguro de que a história não absolverá Fidel", disse Llosa, que no século passado era entusiasta das revoluções na América Latina

O escritor peruano Mario Vargas Llosa, comentou a morte do líder cubano Fidel Castro; “Espero que esta morte inicie em Cuba um período de apertura, de tolerância, de democratização. Ele disse que história o absolverá. Eu estou seguro de que a história não absolverá Fidel", disse Llosa, que no século passado era entusiasta das revoluções na América Latina
O escritor peruano Mario Vargas Llosa, comentou a morte do líder cubano Fidel Castro; “Espero que esta morte inicie em Cuba um período de apertura, de tolerância, de democratização. Ele disse que história o absolverá. Eu estou seguro de que a história não absolverá Fidel", disse Llosa, que no século passado era entusiasta das revoluções na América Latina (Foto: José Barbacena)

247 - O escritor peruano e prêmio Nobel, Mario Vargas Llosa, comentou a morte do líder cubano Fidel Castro. Llosa, que no século passado era entusiasta da revoluções latino-americanas, se tornou um adepto do liberalismo econômico e uma espécie de guru da direita.

“Espero que esta morte inicie em Cuba um período de apertura, de tolerância, de democratização. A história fará um balanço desses 55 anos que acabam agora com a morte do ditador cubano. Ele disse que história o absolverá. Eu estou seguro de que a história não absolverá Fidel", disse Vargas Llosa, segundo o jornal El País.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247