Hollande vai a Cuba na primeira missão francesa em 55 anos

A França quer fomentar o comércio com Cuba, com quem manteve, no ano passado, um intercâmbio de 180 milhões de euros, valor inferior ao de 2013 e longe dos fluxos que Cuba manteve com outros parceiros europeus, como Espanha, Holanda ou Itália

A França quer fomentar o comércio com Cuba, com quem manteve, no ano passado, um intercâmbio de 180 milhões de euros, valor inferior ao de 2013 e longe dos fluxos que Cuba manteve com outros parceiros europeus, como Espanha, Holanda ou Itália
A França quer fomentar o comércio com Cuba, com quem manteve, no ano passado, um intercâmbio de 180 milhões de euros, valor inferior ao de 2013 e longe dos fluxos que Cuba manteve com outros parceiros europeus, como Espanha, Holanda ou Itália (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa 

O presidente francês, François Hollande, chegou no domingo (10) à noite a Havana, onde inicia uma visita oficial a Cuba, a primeira de um chefe de Estado francês à ilha em 55 anos. A visita de Hollande a Cuba faz parte de uma viagem do presidente francês pelo Caribe, que termina no dia 12 de maio no Haiti.

A visita ocorre cinco meses depois do anúncio do restabelecimento das relações diplomáticas entre Cuba e Estados Unidos.

À chegada ao Aeroporto Internacional José Martí, em Havana, Hollande foi recebido pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Rogelio Sierra.

Está previsto que o presidente francês se reúna hoje (11) com o seu colega cubano Raúl Castro, após uma intensa agenda que inclui um encontro com o cardeal Jaime Ortega, o representante máximo da Igreja Católica na ilha, a quem será entregue uma insígnia de Comandante da Legião de Honra, a mais alta distinção francesa.

Para hoje estão também marcados encontros com estudantes e professores da Universidade de Havana, onde serão assinados vários acordos de intercâmbio acadêmico e cultural e será inaugurada uma sede da Aliança Francesa na capital cubana.

A viagem tem também um caráter econômico. Hollande vai encerrar um fórum em que participam membros de uma delegação empresarial, integrada por empresas francesas como a Pernod Ricard, Accor, Air France, Carrefour e Orange.

A França quer fomentar o comércio com Cuba, com quem manteve, no ano passado, um intercâmbio de 180 milhões de euros, valor inferior ao de 2013 e longe dos fluxos que Cuba manteve com outros parceiros europeus, como Espanha, Holanda ou Itália.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247