Igreja Católica se soma aos esforços pelo retorno da paz na Nicarágua

Conferência Episcopal nicaraguense responde positivamente a apelo do governo do presidente Daniel Ortega e decide somar-se aos esforços para a pacificação do país

Nicaragua's President Daniel Ortega addresses the audience in Managua October 6, 2011. REUTERS/Jorge Cabrera (NICARAGUA - Tags: POLITICS)
Nicaragua's President Daniel Ortega addresses the audience in Managua October 6, 2011. REUTERS/Jorge Cabrera (NICARAGUA - Tags: POLITICS) (Foto: Reinaldo)

247, com Prensa Latina - A Conferência Episcopal se somou como mediadora e testemunha do diálogo nacional, uma atitude que o governo sandinista agradeceu como uma contribuição ao encontro, tolerância e coexistência pacífica entre todos os nicaraguenses.

O impacto dos recentes incidentes violentos na Nicarágua está começando a ser sentido no país. Para a maioria da população agora é imperativo retornar à paz e estabilidade.

As cadeias de oração que invocam o amor e a compreensão entre os nicaraguenses acontecem em várias cidades e vilas do território nacional, enquanto os cidadãos tentam retomar suas tarefas diárias em meio às expectativas de abertura de um diálogo.

Organizações de trabalhadores, instituições, membros da sociedade civil e pessoas em geral consideram o diálogo convocado pelo Presidente da República, Daniel Ortega, vital para restaurar a paz no país.

"Para facilitar o clima de diálogo consideramos essencial e imperativo que tanto o governo como cada membro da sociedade civil evite todo ato de violência, de desrespeito à propriedade pública e privada e prevaleça um clima sereno e de absoluto respeito à vida humana de todos e cada um dos nicaraguenses", declarou a Conferência Episcopal em sua mensagem.

O presidente Daniel Ortega respondeu à Conferência Episcopal: "Recebemos com muito reconhecimento e respeito sua mensagem ao povo nicaraguense, expressando sua decisão de acompanhar o Processo de Diálogo que estamos instalando em nosso País, para retomar as Sendas de Reconciliação e Trabalho, caminhos esses que as famílias nicaraguenses nos demandam a todos (as)."

Também a vice-presidente, Rosario Murillo, agradeceu as expressões que pedem serenidade, calma e tranquilidade.

"O povo nicaraguense quer a normalidade, tranquilidade, segurança, paz, retorno à calma e serenidade", afirmou.

Enquanto isso, mensagens de solidariedade e apoio começaram a chegar de diferentes partes do mundo para que a Nicarágua, através do diálogo convocado, possa encontrar as soluções que devolvam o país ao caminho da estabilidade.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247